Maduro, Vázquez, Correa e Santos chegaram a acordo - Dolores Ochoa / AP Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/maduro-santos-anunciam-acordo-progressivo-para-dar-fim-crise-na-fronteira-17561819#ixzz3mTBozUm1  © 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Maduro, Vázquez, Correa e Santos chegaram a acordo - Dolores Ochoa / AP

clippingQUITO – Os presidentes de Venezuela e Colômbia, Nicolás Maduro e Juan Manuel Santos, se encontraram nesta segunda-feira em Quito para tentar resolver a crise na fronteira. As delegações dos países, que incluíram as chanceleres de cada um, chegaram a um princípio de acordo para reabrir várias passagens fechadas desde o mês passado, quando a Venezuela denunciou invasões paramilitares e deportou mais de 1.600 colombianos.

Na capital equatoriana, Maduro e Santos discutiram junto aos presidentes de Equador e Uruguai, Rafael Correa e Tabaré Vázquez. A mediação serviu para tentar amenizar as tensões entre os dois países desde o início da crise.

Enquanto Vázquez e Correa disseram estar satisfeitos com o progresso nas discussões entre as partes, Maduro e Santos acordaram o retorno dos embaixadores de cada país e uma investigação binacional sobre os motivos que deixaram a fronteira insegura a ponto de ser declarado estado de exceção.

A partir dos termos, um grupo de ministros dos dois países fará considerações técnicas sobre a situação fronteiriça. Com o acerto das etapas, a normalização e abertura das fronteiras ficaria assegurada de maneira gradual, segundo o comunicado lido pelos presidentes.

ECUADOR-VENEZUELA-COLOMBIA-BORDER-G7E2CV8RU.1

Maduro e o presidente equatoriano, Rafael Correa, acenam para manifestantes - RODRIGO BUENDIA / AFP

— Agradeço por termos conseguido nos encontrar para discutir o tema. Triunfaram a sensatez, o diálogo e a paz. Não há lugar para o ódio nem para o revanchismo — disse Maduro.

Santos destacou que exigiu a Maduro respeito aos colombianos em situação irregular na fronteira. O êxodo forçado foi muito criticado pelas autoridades colombianas nas últimas semanas.

— Quando dois líderes têm diferenças, quem sofre são os povos. Temos modelos diferentes, mas podemos nos respeitar. Entendo a preocupação da Venezuela por grupos criminosos na fronteira, e pedi que ele respeite os direitos dos colombianos, algo ao qual ele se comprometeu a investigar — disse Santos.

ESFORÇO POR REAPROXIMAÇÃO

Antes do encontro, o tom era de desconfiança. Ainda na segunda-feira, durante a reunião multilateral, a cidade colombiana de Cúcuta registrou mais incursões por forças venezuelanas.

Para Santos, a atual situação “é um dos capítulos mais tristes de nossa História”.

— O estado de exceção não pode ser usado para justificar abusos contra os direitos humanos. Os problemas na fronteira, como o narcotráfico, o contrabando os grupos criminais, são de tempos antigos, e por isso temos que buscar a solução. Mas a Colômbia não é culpada pelos problemas da Venezuela. Viajamos a Quito com a melhor das intenções, em busca de diálogo e prudência — disse Santos, que já havia acusado Caracas de usar a questão fronteiriça para “maquiar” os graves problemas econômicos e políticos que enfrenta.

VENEZUELA-COLOMBIA_-G7E2CVEKD.1

Maduro acena para apoiadores do lado de fora do palácio presidencial em Quito - HANDOUT / REUTERS

Maduro, por sua vez, afirmou que a situação dos mais de 17 mil colombianos afetados pela crise iniciada com o estado de exceção em cidades venezuelanas não é o foco. Ele foi firme em dizer que tem propostas concretas para “construir uma fronteira de paz e atender o êxodo massivo de colombianos na Venezuela.”

— Cinco milhões de colombianos chegaram à Venezuela fugindo da guerra e da pobreza. Não podemos dar passos em falso. As medidas que tomarei hoje são saudadas e apoiadas massivamente pelo povo venezuelano. Quero iniciar um novo tempo de relações com a Colômbia, com respeito, cooperação, benefício mútuo, paz, convivência e coexistência. Que ninguém se meta nos assuntos da Venezuela e não o façamos com ninguém.

As chanceleres María Ángela Holguín (Colômbia) e Delcy Rodríguez (Venezuela) já haviam se encontrado duas vezes, mas não chegaram a um consenso para a reabertura de regiões fechadas. Desde 20 de agosto, início da crise na fronteira, os países vêm trocando acusações.

FONTE: O GLOBO com ‘EL TIEMPO’/GDA

image_pdfimage_print

 

21 Comments

 

  1. 22/09/2015  9:50 by Luis A. Senger

    Até parece ..... que coisa mais "cucaracha " enfim America Latrina !

  2. 22/09/2015  10:06 by Celso Sugiura

    Vergonha nacional!!! Quem deveria estar mediando este conflito, deveria ser o governo brasileiro. Pela liderança e tamanho do país na América Latina. Mas não estamos por que?
    Porque estamos afundados em escândalos de desvios bilionários, para "compra" de apoio político, para perpetuação no poder.

  3. 22/09/2015  10:16 by mauricio matos

    Muita trovoada e praticamente nenhuma chuva o maduro pode ser doido mais não é burro uma guerra com Colômbia ele perderia muito mais e toda américa do sul nenhum desses países tem condições para entrar em guerra um com outro a maioria não tem suporte financeiro e nem militar para suportar um conflito de longa duração.

  4. 22/09/2015  10:31 by carlos

    quem saiu perdendo foi a venezuela,perdeu um SU-30 e 2 pilotos

  5. 22/09/2015  10:51 by Popeye

    UE kd os senhores da guerra que por aqui postam? E se o Brasil tivesse enviado tropas para a fronteira, os senhores pagariam a conta agora? Os srs deveriam era cobrar os desvios ocorridos no Metrô e nos trens de SP, os acordo feitos com a facção criminosa PCC e também apurar de verdade as denúncias da SIEMENS.

  6. 22/09/2015  12:38 by Douglas Rodrigues

    Sim, tudo deve ser investigado... Absolutamente TUDO!
    Mas muito me estranha você citar apenas coisas a serem investigadas sobre a batuta do PSDB, ou seja, o PT não cabe investigar a mais? Coitados, já tem muita coisa para se preocupar...
    Corrupção existe em todos esses partidos no poder, tudo deve ser investigado e trazido à tona para sabermos o nível das pessoas que são colocadas no poder.
    Como disseram, o Maduro não seria doido de colocar a estrutura já fraca de seu país em conflito contra a Colômbia e assim dar motivos suficientes para os EUA comandarem um ataque contra a Venezuela e seu governo ditatorial (que acreditem, é muito pior que um governo dito democrático - aqui no Brasil os comunas agem sorrateiramente).

  7. 22/09/2015  13:01 by Felipe

    Três observações quanto à primeira imagem:

    1) Que bom, que deixem para se degladiar quando o Brasil já estiver com o Gripen por aqui.
    2) Lamentável a presidente não está no centro dessa foto. O presidente do inexpressível Equador e do simpático Uruguai quem intermediaram as negociações. Como é isso? Na hora de mandar o "cash" nos dispomos, mas na hora de "diplomatar" nos omitimos. Lamentável a política externa que está sendo conduzida nesse país. Mais um golpe em nossa influência no continente.
    3) Falta esse sujeito apertar a mão do presidente da Guiana, ou vai deixar para apertar só quando a RAF derrubar algum Su30?

    Mas é isso ai, que a paz permaneça no continente.

  8. 22/09/2015  14:54 by Terra Brasilis

    Intermediar uma disputa dos outros, porque? Muito sem noção. Que as nações em litígio, sentem para conversar e discutir pacificamente suas diferenças. O Brasil não tem nada a ver com esta condição regional entre estes paises. Liderança é outra história...

  9. 22/09/2015  14:56 by Roberto Henrique

    Está sendo investigado meu caro. Com também está bem adiantado a Operação Lava Jato que investiga o maior escândalo de corrupção do país.

  10. 22/09/2015  15:02 by BrunoFN

    Q bom ... espero mesmo q seja um fato superado ... América latina e Brasil agradecem

  11. 22/09/2015  15:22 by dilson queiroz

    Vitória de Rafael Correa e Tabaré Vasquez....parabéns .....

  12. 22/09/2015  15:29 by Gabriel

    Melhor assim...

  13. 22/09/2015  16:15 by César Pereira

    O importante é resolver a celeuma ,pouco importa quem mediou a situação, mas uma coisa me assusta cinco milhões de colombianos adentraram à Venezuela ? é uma cifra muito grande !

  14. 22/09/2015  16:20 by Popeye

    O Brasil continua o líder incontestável do Continente, mas daí a ser babás de Maduros e verdes é outra história. Probleminha minúsculo para atingir a alçada do Brasil, tanto que o Uruguai, Equador e os dois países em conflito resolveram rapidamente o caso.

  15. 22/09/2015  17:01 by Andre

    Até pelo fato desses países fazerem fronteira com o Brasil. Mas aí chamar de vergonha nacional ja é exagero!

  16. 22/09/2015  19:24 by Tobyaps

    Muito bom, chega de encrenca né. Eles são países que falam a mesma língua, tia Dilma deve estar ocupada pensando aonde pode cortar gastos. Se fosse do povo Colombiano ficaria com certa magoa pela deportação de 1600 amiguinhos, alguns até sem condições de manter-se.

  17. 23/09/2015  7:05 by Carlos Alberto Monteiro

    O Brasil ter medo medo desse desequilibrado, é brincadeira não e maduro já está é podre!

  18. 23/09/2015  12:06 by maxtedy

    Foi posto em prática o verdadeiro sentido político da UNASUL.

  19. 23/09/2015  19:33 by caco

    Ai Ai .... isso me dá certeza absoluta que o su 30 foi derrubado , maduro deve ter sentido o impacto e não quer encrenca com gente grande , ele vai se votar agora contra os pequenos ,
    Guiana , Brasil.....

  20. 24/09/2015  8:36 by Proud

    E o Brasil nem foi chamado como observador? Nosso Itamaraty esta muito aquém do esperado mesmo.

  21. 25/09/2015  12:36 by HMS_TIRELESS

    Você tá de brincadeira né? O único vencedor aqui foi Juan Manoel Santos, que manteve a dignidade o tempo todo. Tabaré Vasques e Rafael Correa fizeram apenas o deixa-disso abafando a crise que o motora de busão criou para desviar a atenção para as burradas seriais cometidas no seu país. E quanto ao bigodudo, além de perder um Su-30 e a sua tripulação, saiu mais desmoralizado ainda...

Leave a reply

 

Your email address will not be published.