Conforme fotos anexas e como parte do processo de transferência para a MB, o HMS “Ocean” recebeu, nesta semana, seu novo indicativo de costado na cidade de Plymouth, Inglaterra.



Ao ser incorporado à Marinha do Brasil, receberá o nome PHM Atlântico e será empregado em operações aéreas com helicópteros, operações anfíbias com tropas de fuzileiros navais e em missões de controle de área marítima para proteção de linhas de comunicações marítimas.

Além disso, conduzirá atividades de apoio logístico, de caráter humanitário, de auxílio a desastres naturais e de apoio a operações de manutenção da paz.

A Mostra de Armamento do PHM Atlântico à MB será realizada em 29 de junho, sendo a conclusão do processo de transferência do navio prevista para o final de julho e sua chegada ao Brasil em agosto.

FONTE e FOTOS: CCSM



 

31 Comments

 

  1. 14/06/2018  6:45 by Rafael Responder

    Pow Guilherme foi mal o corretor do celular fez eu errar seu nome , perdão!

  2. 13/06/2018  14:14 by Ricardo Santos Responder

    Espero que sejam adquiridas sim, escoltas capazes de fornecer a real proteção que ele vai precisar para operações além-mar e que não dependamos da proteção de escoltas de outras marinhas! Se ele vier a usar a configuração de aérea de 4 AW-1W (apoio aéreo aproximado), 4 UH-15 (transporte de tropas), 4 UH-15A (ASuW), 4 SH-16 (ASW) e 2 UH-12 (guarda de aeronaves) (18 aeronaves) realmente mostrará sua natureza multipropósito. Claramente podendo mudar isso conforme o cenário apresentado.

  3. 13/06/2018  11:16 by Cristiano Responder

    Falo o que sei sim ! , Foram 30 anos servindo na ilha das cobras (RJ) e acompanhei de perto o sucateamento da nossa marinha ., Nossa marinha sobrevive graças aos bravos militares que a mesma possui em seu quadro !!!!

  4. 13/06/2018  11:12 by Rennany Gomes Responder

    Excelente compra de oportunidade. uma bela nau capitania pra MB.

  5. 13/06/2018  10:55 by Luiz Responder

    Seria uma excelente compra se viesse como a Royal Navy o estava usando, mas parece que o estão depenando, já tiraram os Phalanx Siws e se retirarem o sistema avançado de radares que possui vai virar uma simples canoa, aí a compra será uma latada igual ao São Paulo.

  6. 13/06/2018  10:24 by Carlos Mauricio Soriano de Souza Responder

    Um país quebrado era pra comprar porcaria de porta avião, onde falta medicamentos básicos em hospitais, e milhares de outras necessidades. Mas é o país da MEGALOMANIA, se brincar não tem nem dinheiro para utilizar tal equipamento de " guerra" um país que não briga nem com ele próprio.

    • 14/06/2018  10:47 by Andre Responder

      Esse discurso de ordem social contra investimentos militares precisa ser trabalhado para que o cidadão não seja mais enganado Carlos. Não há relação nenhuma entre a falta de medicamentos e o navio militar, sendo que o problema não é o dinheiro em si, mas quem administra os recursos. Seguinte: existem órgãos públicos federais chamados de Ministérios. Esses Ministérios auxiliam o presidente da república na administração de várias áreas como a defesa e saúde especificamente.

      A falta de medicamentos não significa falta de dinheiro, portanto não é um problema de ordem econômica e sim administrativa (leia-se interesses pessoais/corrupção ou má gestão mesmo). A área da defesa é dual Carlos, serve tanto para a segurança nacional como para o bem estar nacional, ou seja, de tão avançadas as tecnologias militares são úteis á sociedade civil. E não é de hoje! A blindagem é uma invenção naval. A Marinha acaba de inaugurar o Reator Multipropósito Brasileiro que será usado para tratamento de câncer e outras necessidades medicinais. Entendeu? Saúde/ tecnologia militar/recursos.

      Se nota que seu conhecimento no tema é inexistente Carlos, você tem muito a aprender ainda mas te convido a participar do site para entender a realidade das forças armadas do Brasil. Que megalomania é essa em que uma Marinha tem dificuldade de construir barco patrulha Carlos? Aproposito, porque o Brasil brigaria com ele próprio? Não entendi!

  7. 13/06/2018  8:04 by Fernando Responder

    Bela compra

  8. 13/06/2018  7:08 by Rafael Responder

    TKS, Guilherme

  9. 13/06/2018  0:04 by Cristiano Responder

    O Brasil adora comprar sucata , o porta aviões São Paulo não foi suficiente , disperdicio de dinheiro público . Esqueci !! Quando será a próxima queda dos sucateados f 5???. Parabéns governantes , sucateando as nossas forças armadas !

    • 13/06/2018  8:06 by Thiago Responder

      Não fala oq não sabe

    • 13/06/2018  9:56 by Marcos Aurélio Responder

      Melhor ficar quieto quando não se sabe o que falar.

      • 13/06/2018  20:19 by Andre Responder

        THIAGO
        Não tem como negar que nossos F5, além de estarem anos-luz do ideal para qualquer força aérea moderna, ainda põe em risco nossos aviadores (e quem estiver embaixo!). São aviões da Guerra Fria! Então ele fala o que sabe, ou seja, a realidade do que estamos vivendo em termos de arsenal é o crônico desinteresse de nossa classe política sobre a importância da segurança nacional. Por exemplo na Crise da Lagosta, que foi nos anos 60, nossa esquadra teve dificuldades de colocar em ação nossos navios, incluindo submarinos, para mostrar presença a um único destruidor (destróier) francês, o Tartur. No caso do Atlântico, o Cristiano realmente exagerou em tratar o navio como sucata mas isso não diminui sua razão sobre a decadência de nosso poderio militar e a negligência das autoridades sobre o tema. O próprio comandante da Marinha disse que nossa Armada pode desaparecer se não tiver investimentos.

        MARCOS
        Da mesma forma que você se manifesta livremente para expor sua opinião nosso outro amigo Cristiano também tem esse direito, estando ele errado ou não. Não se trata de moderação porque não sou dono do site mas sim por uma questão de justiça. Da mesma forma que ele exagera em dizer que o Atlântico é uma sucata também acerta em dizer do descaso das autoridades políticas sobre nosso arsenal. Peça pelo menos desculpas! Ninguém aqui é dono da verdade, somos tudo do mesmo pó.

        CRISTIANO
        Que Marinha não iria querer comprar um porta-avião/helicóptero novo? Uma fragata, destruidor e até cruzador novo? Todas! Mas entre querer essas unidades e ter um país que lhe dê essa condição é uma diferença enorme, mesmo quando o país em questão (Brasil) tem recursos para a compra. Para um povo que se diz patriota apenas de quatro em quatro anos só por causa de futebol não tem como esperar menos em termos de patriotismo. De ante dessa realidade Cristiano não vejo o Atlântico como um desperdício de dinheiro sendo portanto bem vindo, porque diferente do porta-avião ele é mais novo e passou por revisão, sendo inclusive um aprendizado para a Marinha em aquisições dessa natureza (usados) como aconteceu com o Bahia. Ou seja, o Atlântico faz parte de uma doutrina preventiva justamente pela experiência que tiveram com o São Paulo. Como ele passou por modernização a quatro anos, essa revisão atual provavelmente não precise de muita modernização e sim uma garantia operacional.

  10. 12/06/2018  22:14 by Moacyr Rodrigues Responder

    Bacana, compra de oportinidade na visão do almirantado; mas um LHP (porta helicópteros) para uma força carente de helicopteros é repetir o mesmo erro do NAe São Paulo, um porta aviões sem aviões capazes de ter um mínimo de aderencia a doutrina específica para o tipo de navio. E as Corvetas classe Tamandaré que são uma necessida palpável seguem como um sonho.

    • 13/06/2018  13:42 by Tiago Responder

      A questão é que nós temos os helicópteros. Eles não necessariamente precisam ser da Marinha. Aliás, era exatamente assim que a Royal Navy o operou, ainda como HMS Ocean. Sempre em conjunto com as forças armadas da Inglaterra.

      É claro, seria ótimo ver a Marinha ser melhor equipada de helicópteros, mas o que temos não é ruim e se o Atlântico seguir essa doutrina, o que tudo indica que fará, ainda teremos o benefício extra de uma plataforma de integração entre a Marinha, o Exército e a Força Aérea.

    • 13/06/2018  16:11 by Andre Responder

      MOACYR:
      A Marinha é composta de quatro Esquadrões de helicópteros: 1º Esquadrão de Helicópteros de Instrução (HI-1), 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1), 2º Esquadrão de Emprego Geral (HU-2) e o 1º Esquadrão de Helicópteros Anti-Submarinos (HS-1). São helicópteros diversificados que vai do Esquilo ao EC7725 e tem a possibilidade da Marinha comprar os Super Cobras para completar o arsenal do Atlântico e do Bahia.

      TIAGO
      Ainda que não fossem da Marinha britânica você quis dizer que o navio recebia helicópteros NAVAIS de outras nações não é isso? Sim porque um aparelho naval é bem diferente de outras categorias com trem de pouso reforçado, pintura especial anticorrosiva, dobragem das pás e outras normas técnicas inerentes a esse tipo de helicóptero. Por exemplo, o navio não poderá receber o Sabre da Força Aérea apesar de ser um helicóptero de ataque porque ele não atende esses requisitos que citei, além dele operar bem longe da base da Marinha. "Qualquer helicóptero" também não.

  11. 12/06/2018  19:40 by Wesley Alves Responder

    Ele vai direto para o Rio de Janeiro ou para em algum porto do nordeste antes? Moro em Fortaleza e recentemente recebemos a fragata constituição (ou a liberal, não lembro) na sua volta de missão.

    • 12/06/2018  22:04 by Luiz Padilha Responder

      A confirmar

  12. 12/06/2018  17:49 by Carlos roberto Responder

    belo navio e que venha mais e mais

  13. 12/06/2018  16:06 by Rafael Responder

    Prezado Guilherme você saberia me informar se o Atlântico assim como o Bahia tem hospital? Ou é só enfermaria?

    • 12/06/2018  16:30 by Guilherme Wiltgen Responder

      Rafael,
      Ele possui um hospital com centro cirúrgico.
      O HMS Ocean já participou de vários exercícios de operações médicas conjuntas com os EUA e com a OTAN.
      Abs,

  14. 12/06/2018  14:21 by Vovozao Responder

    Estamos todos aguardando ansiosos a chegada do nau capitania, mesmo ainda capenga, falta o armamento, ele é muito bonito, e, muito importante pelo avanço tecnológico que traz. Um dos momentos mais importantes da nossa MB, Bahia, Atlântico, além de navios patrulha e os três (G); faz tudo da marinha, que dizem ser.quatro (falta um ), conta ainda não fechou, aguardamos mais, nada de maior, sim a melhor.

  15. 12/06/2018  14:14 by Gustavo Responder

    Calma gente, o Brasil não está em guerra nem sob ameaça terrorista!

    • 12/06/2018  19:05 by VictorZizo Responder

      Qual o sentido do seu comentário?

  16. 12/06/2018  10:57 by ECosta Responder

    Como será que é o esquema de segurança no translado de um navio desse ?
    Será que uma fragata ou corveta fará a escolta ?

    • 12/06/2018  11:02 by Guilherme Wiltgen Responder

      ECosta,
      Não há necessidade de escoltar o navio até o Brasil.
      No máximo vai ser recepcionado por outros meios da Esquadra na chegada ao Rio.
      Abs,

  17. 12/06/2018  10:50 by BRUNO Responder

    Nossa não tem mais fotos?

  18. 12/06/2018  10:20 by Eduardo Ramos Responder

    Neste período em que se encontra na Inglaterra teria como em caráter de urgência comprar um o sistema de defesa aérea mais capaz até o Sadral eu ficaria feliz pois conta com mais misseis que o simbad

    • 12/06/2018  10:39 by Guilherme Wiltgen Responder

      Eduardo,
      Não há necessidade de se adquirir agora, em caráter de urgência, um sistema de defesa.
      Vamos aguardar no navio chegar...😁
      Abs,

Deixe uma resposta para Carlos roberto Cancelar resposta

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.