Uma versão inédita do veículo blindado Stryker, armado com mísseis capazes de destruírem drones e aviões inimigos, foi exibido no Space and Missile Defense Symposium, em Huntsville, Alabama, nesta semana.

O novo veículo é um lançador SHORAD (Short-Range Air Defense) integrado a um veículo Stryker. A Boeing e a General Dynamics Land Systems se uniram para equipar o Stryker do Exército dos EUA (US Army) com mísseis,  aumentando o poder de fogo aproximado, provendo o Stryker em operar de forma mais eficaz do que os veículos táticos.

A General Dynamics Land Systems projetou o veículo, chamando de Stryker Mobile SHORAD Launcher, ou Stryker MSL, para resolver uma urgente necessidade operacional do US Army, para defesa aérea aproximada ou em cenários de combate assimétrico.

O protótipo da plataforma Stryker MSL, que conta com uma tripulação de três homens, é capaz de disparar os mísseis Hellfire, AIM-9X ou o Longbow Hellfire, disseram os desenvolvedores.

Os engenheiros da General Dynamics projetaram o veículo, removendo partes da traseira do Stryker, criando uma plataforma com uma torre Avenger da Boeing, montada sobre o chassi.

COLABOROU: Marcos Henrique

 

3 Comments

 

  1. 10/08/2017  14:16 by FERNANDO

    Olha, sinceridade, o BOXER alemão é bem MELHOR.
    Alias, uns 200 BOXER para o EB, seria um SONHO

  2. 10/08/2017  19:21 by Adriano Luchiari

    Às vezes fico pensando na nossa xenofobia, que limita os horizontes do nosso EB, apesar de ser uma das Armas mais pé no chão. Se investiu muito até hoje em modernizações de M113, Urutus, Cascavéis e desenvolvimento do Guarani, produzido aqui por uma multinacional em um cadência muito menor que a prevista e sem saber se haverá capacidade financeira para os +/- 2000 pretendidos, o que provavelmente aumente seu preço unitário. Se, alguns anos atrás, o EB fizesse um acordo com a General Dynamics para fabricar os Stryker aqui, sob licença e com componentes nacionais sempre que possível, poderíamos ter hoje uma família de blindados moderna e provada em combate, com suas versões IVC de transporte de pessoal, CV viatura de comando, RV viatura de reconhecimento, MGS com canhão 105 mm, NBC viatura de reconhecimento de contaminação Nuclear, Química e Biológica e agora, essa versão MSL, que supriria nosso principal ponto fraco, a defesa AAe. E creio que não gastaríamos muito mais do que foi investido até agora nos projetos que mencionei.

  3. 10/08/2017  19:39 by Pablo

    Uma pena a crise estar atrapalhando o desenvolvimento do Guarani, caso não estivéssemos a versão 8x8 estaria em andamento!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.