Notícias do avançado programa de radar Over-the-Horizon para a frota de Porta-Aviões, surgem após pesquisador receber o prêmio científico mais importante da China

Cientistas militares chineses fizeram avanços significativos na atualização da tecnologia de radar chinesa e estão desenvolvendo um avançado radar de “tamanho compacto” para a frota de porta-aviões, que permitirá manter uma vigilância constante sobre uma área do tamanho da Índia.



O sistema permitirá que a marinha chinesa identifique as ameaças recebidas de navios, aviões e mísseis inimigos, muito antes do que permite a tecnologia existente hoje, de acordo com cientistas do programa de radar Over-the-Horizon (OTH) da China.

O programa surgiu ao público nessa terça-feira, quando seu principal cientista, Liu Yongtan, professor do Departamento de Engenharia Elétrica do Instituto de Tecnologia de Harbin, recebeu o principal prêmio de ciências da China das mãos do presidente Xi Jinping, durante uma cerimônia. Outro cientista militar, Qian Qihu, também foi homenageado no mesmo evento no Grande Salão do Povo, em Pequim, por seu trabalho em abrigos nucleares subterrâneos.

Liu disse à mídia estatal que o radar OTH baseado em terra aumentou muito o alcance da área que o PLA poderia monitorar. “Baseando-se em tecnologias tradicionais, nossa vigilância e monitoramento só poderiam cobrir cerca de 20% de nosso território marítimo”, disse Liu à agência de notícias estatal Xinhua. “Com o novo sistema, podemos cobrir toda a área”.

Os radares OTH baseados em terra foram desenvolvidos pela primeira vez pelos EUA e pela União Soviética, durante a Guerra Fria, permitindo que eles vigiassem milhares de quilômetros de território enviando ondas de rádio para a ionosfera e recebendo-as de volta à Terra.

No entanto, muitas dessas instalações foram desativadas ou suspensas devido a suas vulnerabilidades. Os radares precisam de enormes quantidades de energia e precisam ser construídos em terreno plano e aberto.



Sua imobilidade também os torna altamente vulneráveis ​​a ataques, levando os estrategistas militares a mudarem seu foco para AEW (Airborne Early Warning) e sistemas de controle.

No entanto, um membro sênior da equipe de Liu confirmou ao South China Morning Post que o novo sistema seria um radar OTH baseado em navios.

O radar “aumentará a capacidade de coleta de informações da Marinha em áreas críticas”, incluindo o Mar do Sul da China, Oceano Índico e Pacífico, disse o pesquisador, que pediu anonimato por causa da sensibilidade do assunto.

A China não é a única nação que desenvolve a tecnologia. A Raytheon Company, uma importante empresa de defesa dos EUA, recebeu uma patente em 2016 para um sistema similar. O projeto da Raytheon envolve um navio transmissor e vários navios receptores com antenas montadas no convés.

As ondas de rádio são direcionadas para o céu pelo transmissor e seriam coletados pelos navios receptores, que então passam os sinais para os porta-aviões via satélite ou retransmissão aérea.

A implantação da tecnologia no mar significa que os cientistas precisam superar uma série de desafios, incluindo o ajuste da frequência do radar, a despolarização e a direção para corresponder à distância da zona-alvo e às condições da ionosfera. O navio receptor também deve usar técnicas complexas para compensar o movimento causado pelo mar.

Segundo a Raytheon, o sistema tem um alcance de detecção de mais de 1.000 km (620 milhas) e pode cobrir uma área de mais de um milhão de milhas náuticas quadradas, o equivalente a 3,4 milhões de quilômetros quadrados, que é aproximadamente do tamanho da Índia.

Por outro lado, o alcance do radar de um destroyer dos EUA é de cerca de 300 km, enquanto que o radar do Boeing E-3 Sentry pode chegar a mais de 600 km.

O projeto do sistema chinês continua classificado, de acordo com alguns cientistas.

FONTE: South China Morning Post

NOTA do EDITOR: No Brasil, atualmente está sendo testado o radar OTH 0100 da empresa nacional IACIT, no Farol do Albardão. Leia a matéria do DAN e saiba mais sobre o radar OTH 0100 clicando AQUI
 


 

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.