O piloto da Aeronáutica responsável pela quebra de vidraças em prédios públicos na Praça dos Três Poderes está temporariamente afastado das atividades aéreas, passará por uma avaliação operacional e poderá sofrer sanções.

O acidente aconteceu no último domingo, na cerimônia da troca da bandeira e na comemoração dos 70 anos da Esquadrilha da Fumaça. Uma das aeronaves F-2000 ultrapassou a velocidade adequada, atingindo 1.100 Km/h, e o deslocamento de massa de ar rompeu vidradas do Supremo Tribunal Federal, do Congresso e do Palácio do Planalto.

A Aeronáutica informa que está apurando todas as circustâncias do incidente, mas assegura que os sobrevoos ocorreram em altitudes dentro das margens de segurança e que não teria havido risco de acidente com as aeronaves. As instituições afetadas terão os danos reparados pela Aeronáutica.

Apenas no prédio do Supremo, a estimativa é que os reparos custem R$ 35 mil. No Palácio do Planalto, de acordo com a assessoria da Presidência, o custo dos reparos está estimado entre R$ 40 mil a R$ 50 mil.

FONTE: Folha de S. Paulo FOTO: FAB

NOTA do EDITOR: Apesar do incidente ter virado alvo de piadas, nós do Defesa Aérea & Naval não adotamos este tipo de postura, pois casos como estes, cuja a exposição na mídia tomou um vulto exagerado,  só ajuda a piorar as coisas e para os brasileiros  quem curtem assistir estas demonstrações públicas de nossa Força Aérea, sabe que este tipo de “propaganda negativa” só colabora para acabar com estas poucas oportunidades. Esperamos sinceramente que não seja esta a postura da FAB.

 

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.