Companhia vai entregar as quatro partes restantes do casco resistentes da embarcação até o fim deste ano. Iniciativa faz parte do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub).

A Nuclebras Equipamentos Pesados S/A (Nuclep), empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), entregou a primeira seção do submarino SBR-3, como parte do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub).

A seção pertence ao futuro Submarino Tonelero (S 42), que está sendo construído pela Itaguaí Construções Navais (ICN). “A entrega constitui em mais um importante marco contratual atingido no programa, reforçando a capacidade da Nuclep em atender com excelência as demandas estratégicas do país”, diz trecho de comunicado da companhia.

O contrato entre a Nuclep e a ICN prevê o fornecimento de seções de cascos resistentes para quatro submarinos convencionais, dos quais o SBR-1 e o SBR-2, já foram entregues nos anos de 2015 e 2016, respectivamente.

A conclusão da fabricação das partes do submarino, num total de cinco, está prevista para este ano. O SBR-4 deve ser entregue no ano que vem.

Prosub

Iniciado em 2008, o Prosub é uma parceria firmada entre o Brasil e a França e prevê, entre outros pontos, a transferência de tecnologia necessária para a construção de quatro submarinos convencionais diesel-elétricos e, também, do futuro submarino brasileiro de propulsão nuclear.

FOTO: Ilustrativa do SBR-1

 

9 Comments

 

  1. 24/01/2017  14:38 by Gerson Responder

    Pelo menos algo que vai mantendo bem o cronograma! Espero que continue assim! Como os nossos Scopene são os maiores do tipo já construído, será que não dava pra colocar uns dois misseis MT-300?

  2. 23/01/2017  20:20 by Marcos Gilbert Responder

    Mal posso esperar para ver o primeiro submarino desse comissionado e espero estar vivo ainda quando o SNB for também comissionado

  3. 23/01/2017  19:47 by LEONARDO CORREA DE ARAUJO PASSOS Responder

    Transferência de tecnologia sem pesquisa, desenvolvimento e inovação é pra inocente útil aplaudir.

  4. 23/01/2017  19:30 by Adriano Luchiari Responder

    O projeto dos SSK está indo bem, mas penso que 2018 é um tanto cedo para se pensar em lançamento do Riachuelo, pelo volume de trabalho que ainda demanda. Também penso que só após as provas de mar dele deveriam ser concluídos os três remanescentes, de modo que eventuais modificações que se fizerem necessárias sejam executadas ainda no estaleiro. Quanto ao SSN, como sempre defendi, o programa deveria ser simplesmente suspenso e, em futuro próximo, mais unidades da classe Riachuelo com MESMA.

  5. 23/01/2017  16:22 by Andre Responder

    Submarinos não se constroem do dia para noite Farias, ainda mais porque os profissionais brasileiros estão "aprendendo" a construir submarinos. Aprendendo no sentido de usar o método francês. Em novembro o Riachuelo deve ir para o estaleiro, então o lançamento será em 2018. Até porque deve faltar espaço na UFEM para tanto casco fragmentado, ja são três submarinos!.
    Excelente notícia a entrega do Toneleiro!

  6. 23/01/2017  15:38 by Farias Responder

    8 anos e ainda não foi construido nenhum? Quando o primeiro será lançado ao mar?

  7. 23/01/2017  14:39 by BrComenta Responder

    Parabens a Marinha do Meu Brasil
    Preservar a Base de Alcantara
    E montar a segunda e Verdadeira , completa Esquadra no Maranhao.

  8. 23/01/2017  12:46 by Wellington Góes Responder

    É isto aí, é para frente que se anda.

  9. 23/01/2017  10:42 by Klesson Nascimento Responder

    Muito bom ver a dinâmica de produção destas unidades da Marinha. Esperemos que esta situação se estenda as unidades de superfície.

    Abraços

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.