O ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, durante visita à RIDEX, evento voltado para as áreas de Defesa e Segurança que está sendo realizado no Píer Mauá até o dia 29 de junho, afirmou que a tecnologia e as soluções de segurança apresentadas pelos expositores podem ser utilizadas em ações de Segurança Pública como a intervenção federal do Rio de janeiro.



Segundo o ministro, o que está sendo exposto nos estandes possui diferencial de qualidade e tecnologia suficientes para estimular e mobilizar intercâmbio entre os países representados na feira. “Na RIDEX é possível criar e consolidar parcerias e oportunidades de negócio não só no mercado interno, mas com outros países, já que contamos com a presença de tecnologia de ponta e o que há de melhor em itens voltados para Segurança e Defesa. Também acredito ser possível utilizar a tecnologia e as soluções de segurança apresentadas pelos expositores, em iniciativas como a intervenção federal do Rio de janeiro, já que o que está disponível aqui tem qualidade e pode contribuir para o planejamento, a execução e o resultado dessas ações que buscam beneficiar a sociedade com um todo”, destacou.

A RIDEX 2018, que é realizada pela Emgepron (Empresa Gerencial de Projetos Navais) vinculada ao Ministério da Defesa, conta com cerca de cem expositores de dez países presentes em quatro continentes e mais de 20 delegações internacionais e tem como objetivo reunir em um só lugar empresas e profissionais de Defesa, Segurança e Offshore para gerar oportunidades de negócio, divulgar a evolução em pesquisa e desenvolvimento de tecnologia para o setor, além de mostrar o que há de melhor na indústria bélica nacional e internacional.

A bordo do NDM Bahia (G 40), onde aconteceu a cerimônia de abertura da RIDEX, o presidente da Emgepron, almirante Francisco Antônio Laranjeira, a RIDEX 2018 é uma nova ideia em termos de exposição, opção de soluções, parcerias e ambiente de negócios relativos às áreas de Defesa, Segurança e Offshore, reunidos em um mesmo ambiente. “A ideia de realizar o evento surgiu há pouco mais de um ano com objetivo de contribuir para o exercício de estratégias comerciais voltadas para as áreas da Defesa e Segurança. Também temos a intenção consolidar a formação de uma base empresarial fortalecida por meio de parcerias e intercâmbios, mostrando ao mesmo tempo o potencial industrial e tecnológico que temos. Queremos promover inovação, não só de ideias, mas também nas formas de negociação e na produção de equipamentos e produtos. Defesa é sinônimo de tecnologia”, ressaltou.

Estiveram na cerimônia de abertura da 1ª edição da Rio International Defense Exhibition o secretário nacional de Segurança Pública, Flávio Basílio; o secretário de Segurança Pública do Rio de janeiro, general de Divisão Richard Fernandez Nunes; o presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE); o presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX), embaixador Roberto Jaguaribe, entre outras autoridades militares.



 

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.