Rússia bloqueia passagem sob a ponte de Kerch. — Foto: ASSOCIATED PRESS

A Rússia capturou três navios ucranianos na costa da Crimeia, região anexada à Rússia, neste domingo (25), após ter aberto fogo contra as embarcações e ferido marinheiros. Ação tem risco de provocar uma nova e perigosa crise entre os dois países.

O serviço federal de segurança russo (FSB) declarou que seus barcos de patrulha de fronteira capturaram os navios ucranianos no Mar Negro e usaram armas para forçá-los a parar, informaram as agências de notícias russas.



A Ucrânia negou que seus navios tivessem feito algo de errado e o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, declarou que vai propor ao parlamento declaração da lei marcial no país nesta segunda (26). A lei restringiria as liberdades civis e daria maior poder às instituições estatais.

Ação russa

O FSB disse que foi forçado a agir porque os navios – dois pequenos navios de artilharia blindados e um rebocador – tinham entrado ilegalmente em suas águas territoriais, tentado ações ilegais e ignorado os avisos para parar enquanto manobravam perigosamente.

“As armas foram usadas com o objetivo de parar os navios de guerra ucranianos”, disse o serviço de segurança em comunicado enviado à mídia estatal russa.

“Como resultado, todos os três navios da marinha ucraniana foram apreendidos nas águas territoriais da Federação Russa no Mar Negro.”

O FSB disse que três marinheiros ucranianos foram feridos no incidente e estavam recebendo cuidados médicos. Suas vidas não estavam em perigo, anunciou.

Com as relações ainda cruas após a anexação da Crimeia pela Rússia e seu apoio a uma insurgência pró-Moscou no leste da Ucrânia, o incidente pode levar os dois países a um conflito mais amplo.

Dois navios da marinha ucraniana navegam perto da Crimeia. — Foto: ASSOCIATED PRESS

A Rússia anexou a Crimeia em 2014 e depois construiu uma gigantesca ponte rodoviária ligando-a ao sul do país, que atravessa o Estreito de Kerch – uma estreita faixa de água que liga o Mar Negro ao Mar de Azov, que abriga dois dos portos mais importantes da Ucrânia.

O controle russo da Crimeia, onde sua frota do Mar Negro está baseada, e da ponte significa que o país é capaz de controlar os fluxos de navios.

A crise começou neste domingo, depois que a Rússia impediu que os três navios ucranianos entrassem no Mar de Azov, colocando um navio de carga sob a ponte.

Resposta da Ucrânia

A Ucrânia negou as declarações russas, acusou o país de agressão militar, e pediu que a comunidade internacional se mobilizasse para punir a Rússia.

Uma testemunha da Reuters disse que a Rússia apoiou seu bloqueio com pelo menos dois aviões Sukhoi Su-25. A TV estatal russa disse que helicópteros de combate foram enviados à área.

A marinha ucraniana disse nas redes sociais que seis de seus marinheiros haviam sido feridos na apreensão subsequente de seus navios. E que o ataque russo ocorreu depois que eles recuaram e se dirigiram de volta para Odessa, porto no Mar Negro onde tinham começado sua jornada.

“Depois de deixar a zona de 12 milhas, o FSB (serviço de segurança) da Federação Russa abriu fogo contra a flotilha pertencente às forças armadas da Ucrânia”, afirmou a marinha ucraniana em um comunicado.

A União Europeia afirmou que esperava que a Rússia restaurasse a liberdade de passagem através do Estreito de Kerch e pediu aos dois lados que agissem com a máxima moderação para desescalar a situação. Um porta-voz da OTAN fez um apelo semelhante aos dois lados.

Risco de conflito maior

Um tratado bilateral dá à Rússia e à Ucrânia o direito de usar o Mar de Azov, que fica entre eles e está ligado pelo Estreito de Kerch ao Mar Negro. Desde que a Rússia anexou a Crimeia, a tensão aumentou com os dois países reclamando sobre atrasos e perseguição de navios.



Mais cedo neste domingo, o serviço de guarda de fronteiras da Rússia acusou a Ucrânia de não informar antes sobre a viagem dos três navios. Kiev negou. A Rússia disse que os navios ucranianos manobraram perigosamente e ignoraram suas instruções com o objetivo de aumentar as tensões.

Políticos russos denunciaram Kiev, dizendo que o incidente parecia uma aposta calculada de Poroshenko para aumentar sua popularidade antes das eleições do próximo ano.

Em outro sinal de crescentes tensões, a agência estatal russa de notícias RIA informou que forças ucranianas começaram a bombardear áreas residenciais no leste da Ucrânia, controladas por separatistas pró-Moscou.

A Reuters não confirmou isso de forma independente e a agência de notícias Interfax informou que os separatistas negaram que houvesse uma escalada incomum.

FONTE: G1 via Reuters



 

5 Comments

 

  1. 26/11/2018  19:56 by César Pereira Responder

    Eu não posso deixar de ver essas escaramuças entre Rússia e Ucrânia, sem fazer um parâmetro com oque alguns VEM TENTADO fazer aqui na América do Sul a alguns anos, ou seja ,insuflar uma guerra por procuração entre BRASIL e Venezuela !

    • 26/11/2018  22:16 by Socrates Pereira Responder

      César, você acha que o Brasil deve continuar apoiando a ditadura na Venezuela? Não vejo ninguém defendendo guerra entre BR e Venezuela, os próprios militares, candidatos a presidente etc...foram abertamente contra essa possibilidade. A questão é que o Brasil precisa para de financiar (de várias formas, inclusive diplomaticamente e economicamente) aquele regime totalitário que acabou com o país que naturalmente deveria ser os Emirados Árabes Unidos da Região, caracas devia ser DUBAI.
      Hoje a ONU confirmou a ajuda humanitária para a Venezuela, são 10 milhões de dólares.

      • 27/11/2018  6:54 by César Pereira Responder

        Quem diz que o BRASIL esta apoiando ditaduras é você , eu não disse isso ! Quanto a instigar uma guerra entre ambos existem inúmeros comentários e reportagens que vem sugerindo isso há tempos,basta você procurar na net !
        Essa estória do BRASIL esta financiando ditaduras é outra falácia que alguns usam para instigar conflitos,por fim se a Venezuela tinha que ser um ''EAU'' ou não isso não nos interessa ,devemos continuar com nossa política de não nos meter em assuntos de países soberanos !Grande abraço !

  2. 26/11/2018  12:12 by Claudio Responder

    Título tendencioso pró ukrania, navios da ukrania invadem mar territorial da Rússia e ela reage e os pró ocidente dizem que foi a Rússia que atacou ucranianos.

  3. 26/11/2018  4:22 by Socrates Pereira Responder

    Algum presidente fez mais guerras do que o Obama? Eita bicho bom para fazer uma guerra, desestabilizar país e financiar golpes (ironicamente esse sujeito venceu o prêmio Nobel da Paz kkkkk pensa na porcaria que é essa prêmio)...Ucrânia é mais uma das intromissões indevidas dessa turminha revolucionária dos EUA, na outra ponta temos um CZAR que mama nas tetas do Estado desde que nasceu, jamais trabalhou! Um pilantra vestido de urso e um pilantra bebendo Cola Cola do outro lado do mundo.
    A pior palavra que existe no dicionário: revolução!
    Abraço!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.