O Ministério da Defesa da Rússia começou a atualizar a primeira série de mísseis de cruzeiro marítimos 3M-14 Kalibr. Eles se tornaram operacionais em 2013 e a experiência na Síria levou a atualização de suas primeiras versões. Especialistas acreditam que aumentará a capacidade de combate dos mísseis, escreve o diário Izvestia.

O Ministro da Defesa disse ao jornal que planeja encomendar melhorias, manutenção técnica e extensão do ciclo de vida dos mísseis de cruzeiro marítimos 3M-14 e dos mísseis antianavio 3M-54. Acontecerá em 2018-2019, e o custo do projeto será superior a 40 milhões de rublos. Vários navios de guerra russos podem transportar os mísseis.



O 3M-14 foi projetado para destruir postos de comando, depósitos de armas e combustível, aeródromos e instalações portuárias. 3M-54 destrói navios de guerra. A Marinha adquiriu um pequeno número deles. O Kalibr é uma arma mortal, voando a altitudes extremamente baixas e desviando pelo relevo do terreno. A trajetória ajuda a romper a defesa aérea do adversário.

Os navios de guerra disparam os mísseis de lançadores verticais. Submarinos os disparam através de lançadores de torpedos de 533 mm. O míssil também pode ser mantido em um contêiner marítimo padrão. Os contêineres podem ser transportados por um caminhão comum, plataforma ferroviária, embarcações e secretamente entregues em qualquer parte do globo.

Míssil Kalibr sendo carregado em um submarino classe Kilo

Projetos para instalar contêineres em navios de guerra a céu aberto estão sendo projetados. Os navios permitem ajustar rapidamente a maior parte do espaço para transportar mísseis de cruzeiro ou antiaéreo.

O Kalibr ou sua versão Club de exportação foi demonstrada publicamente em 1993. O primeiro navio de guerra a ser armado com Kalibr era o Dagestan da flotilha do Mar Cáspio. Em outubro de 2015, o míssil foi disparado pela primeira vez em condições de combate. 26 mísseis foram lançados do mar Cáspio contra 11 alvos na Síria.

O Kalibr foi projetado com base no míssil Granat que carrega uma carga nuclear e ataca alvos terrestres com coordenadas conhecidas, disse o especialista Dmitry Kornev. “A opção não nuclear tinha o código Biryuza e foi renomeada para Kalibr no estágio final de desenvolvimento. Os primeiros protótipos Kalibr surgiram em 2005, sendo fornecidos em 2013-2015. Não ficou claro por muito tempo se o Ministério da Defesa compraria o 3M-54. Eles foram aceitos no serviço, mas um pequeno número foi adquirido”, disse ele.

A atualização dos mísseis disponíveis deve torná-los mais eficazes, disse o especialista Anton Lavrov. “Modernização de Kalibr é susceptível de aumento na precisão. A atualização fará Kalibr uma arma mais poderosa, sem aumentar o peso do míssil ou ogiva. Também é necessário atualizar o software”, disse ele.

Os Estados Unidos atualizaram numerosamente seu míssil de cruzeiro Tomahawk. A modernização mais recente foi anunciada no ano passado. Os Tomahawks melhorados serão capazes de destruir alvos em movimento e até esperar ordem do comando, disse o Izvestia.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN

FONTE: NavyRecognition


 

2 Comments

 

  1. 21/07/2018  23:41 by Topol Responder

    Melhorar o que já é extremamente letal para assim diminuir os efeitos colaterais... guerra cirurgica amigos ... sobre o 3M54 esse é um dos mísseis antinavio mais letais do mundo, não existe análogos a ele no mundo ocidental

  2. 21/07/2018  18:41 by Teropode Responder

    Interessante, estrearam uma arma que já estava ultrapassada , que coisa heim ?

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.