Star One C4

Está previsto para amanhã (15), o lançamento do Star One C4, satélite de comunicações da Star One, empresa do grupo Embratel. O satélite nacional, construído pela Space Systems/Loral (SSL), dos Estados Unidos, tem como “companheiro” de missão o europeu MSG-4, de meteorologia.

A colocação em órbita está a cargo da Arianespace, que utilizará seu lançador Ariane 5, voando a partir da base de Kourou, na Guiana Francesa. Esta missão tem alguns significados importantes, pois é o décimo satélite da operadora brasileira lançado pela Arianespace, e o 50º satélite construído pela SSL lançado pela companhia europeia.

O Star One C4 é equipado com 48 transpônderes em Banda Ku, garantindo a oferta de serviços como transmissão de vídeo e Internet diretamente aos usuários, além de telefonia em localidades remotas. Com massa total de 5.635 kg, tem vida útil estimada em 15 anos.

Star One C4_01

FONTE: Panorama Espacial

FOTOS: Arianespace

 

22 Comments

 

  1. 15/07/2015  23:38 by Adriano Responder

    Caros amigos, a China é uma das nações mais corruptas do planeta, isto sabe-se desde a sua abertura econômica, que se deu no inicio da década de 80. Nosso problema, o do Brasil é a falta de brasilidade mesmo! A China se transformou, porque apesar da corrupção, da roubalheira se pensa no bem estar da nação chinesa, aqui se fica neste mimi de quem é o culpado politico pela nossa situação,enquanto os EUA , Rússia, Europa e China se riem de nossa infantilidade.Nosso programa espacial foi se porque não soubemos confrontar interesses transnacionais, porque ficamos nos confrontando, enquanto discutimos todos os atores politicos dos últimos 50 anos,senão mais, continuaram espoliando a todos.Jânio Quadros, Militares no poder, Collor de Mello, Lula, atores politicos de matizes diferenciados, que trouxeram mensagens de mudança, mas infelizmente não dignificaram seus cargos.O último brasileiro líder, com todas suas deficiências,foi Getúlio Vargas. A solução é fazermos o oposto do que temos feito, porque é a regra das grandes nações: Nos vermos maiores do que somos! Pois enquanto nos vermos menores do que somos, reverenciaremos pseudo líderes, que só farão continuar o que mais sabemos que esta errado.
    Abraços

  2. 15/07/2015  16:08 by Richard J. Algarve Responder

    Somente reforçando os comentários anteriores. Se nosso país fosse menos abalado pela corrupção teria capital suficiente para expandir outros segmentos tecnológicos a ponto de se tornar independente tanto no desenvolvimento quanto no lançamento de satélites. Independendo da minha opinião desejo um bom lançamento do Star One C4.

  3. 15/07/2015  16:03 by Roberto Henrique Responder

    Sempre fui a favor da privatização - mas não da maneiro que foi na década de 1990 com Embratel - poderiam ter mantido uma estatal para comunicações estratégicas ligadas ao Ministério da Defesa, que prestaria serviço as nossas forças armadas e o restante privatizado. Se não fossem as privatizações, talvez teríamos um serviço de telefonia ineficiente e caro. Hoje praticamente todos temos um Celular e a maioria um Smart Fone. Abraços!

    • 17/07/2015  6:18 by JK Responder

      Sou obrigado a discordar mesmo que o setor fosse aberto a iniciativa privada e a antiga companhia estatal fosse mantida a ineficiência seria a mesma como é hoje. Não haveria diferença nenhuma. E outra não esqueça que mais contribuiu para expansão da telefonia móvel foi o aumento do emprego, renda e credito na última década passada. E a prova disso que as vendas de smartphones bateu recorde e fora que milhões de consumidores estão migrando do Pré para o Pós (exemplo plano controle) pago direto no cartão de crédito. Privatização por si só, não resolveria o problema da demanda reprimida.

  4. 15/07/2015  15:11 by Gabriel Responder

    Mais um feito da iniciativa privada em prol do Brasil!

  5. 15/07/2015  14:56 by by Edson Arruda Responder

    Sei que ganhares esperiências com lançamentos do vs-30 ,no entanto é um despedicio de dinheiro público sendo envestido fora do país em vez no vls , que dizem que foi cancelado empartes , pois prejudicaria ñ só a Fab que gostaria de testar a Marins(plataforma inercial para mísseis balístico), seria ou estasendo um tiro no pé da Fab , no tempo de hoje ñ seria uma boa opção.

  6. 15/07/2015  2:35 by brazuca Responder

    O dinheiro que governantes ladrões ,roubam daria pra construirmos e lançarmos tudo aqui nesta terra abençoada que é o Brasil , mas a realidade é cruel .

    • 15/07/2015  12:20 by Amaral dos Santos Responder

      Concordo plenamente, lamentavelmente em mais de 1 década de roubalheiras e desmandos fez o Brasil voltar a ser um país agrícola, acabou o sonho da nossa geração, talvez daqui a 50 anos o Brasil voltará a desenvolver tecnologia própria.

  7. 14/07/2015  22:35 by Fred Responder

    A manchete e a matéria são enganadoras, a própria frase:

    " O satélite nacional, construído pela Space Systems/Loral (SSL), dos Estados Unidos, " É um contra senso...!

    O satélite pertence a estadunidense Star One e foi produzido no EUA, pela "Space Systems/Loral, LLC (SSL, anteriormente SS/L), de Palo Alto, Califórnia, subsidiária fabril da MacDonald Dettwiler and Associates (MDA)" (Wikipédia).

    O Star One C4 vai prestar serviços no Brasil, isto é certo, más daí a dizer que ele é "nacional", vai uma grande distância!

    • 15/07/2015  9:13 by corbin07 Responder

      Star One não é estadunidense não. É mexicana mesmo, desde quando a embratel foi vendida para os mexicanos. Como já disse anteriormente. A fabricante do satélite sim é americana.

  8. 14/07/2015  22:14 by corbin07 Responder

    Satélite nacional kkkkkk que pertence ao grupo privado mexicano América Móvil desde quando o FHC privatizou a embratel. Então de nacional esse satélite não tem nada.

  9. 14/07/2015  21:49 by by Edson Arruda Responder

    São por essa e outras noticias que me pergunto ; quando inremos lançar satélites da nossa base com o vls?

    • 14/07/2015  22:39 by corbin07 Responder

      Satélite nós até poderemos lançar(se tudo der certo em 2018 lançaremos microsatélites e posteriormente satélites de até 800 kg), mas esses aí de comunicação que são geoestacionários que são de 2 a 6 toneladas, provavelmente, nunca lançaremos com veículos lançadores nacionais. Por que eu falo isso? Porque a própria FAB já desistiu de ter um veículo lançador de satélites geoestacionários nacional. A meta é chegar em veículos lançadores de satélites de até 800 kg, isso lá para 2020 e alguma coisa... e é só isso. Vocês podem procurar na internet sobre o que eu estou falando...

      • 16/07/2015  14:11 by luiz anselmo pias perlin Responder

        Corbin07 me perdoe mas procure na internet como o general OTTO desenvolveu as centrifugas de enriquecimento de uranio e para lembrar estão entre as mais desenvolvidas do mundo E VERA QUE NOSSAS FORÇAS ARMADAS NUNCA DESISTEM DE NADA PODEM ATE LEVAR MAIS TEMPO PARA FAZER MAS DESISTIR ABANDONAR PROJETOS ISTO EU DUVIDO .

        • 16/07/2015  20:26 by corbin07 Responder

          Resposta da FAB sobre cancelamento do programa VLS:

          "Não é verdade que o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial(DCTA) vá abandonar o projeto VLS (veículo Lançador de Satélites). O DCTA continua investindo no VLS-1, VLS-Alpha e VLS-Beta, lançadores de satélites de até 800 kg em órbita equatorial.

          O vice-diretor do DCTA, Major-brigadeiro do Ar Wander Golfetto, em audiência na Câmara dos Deputados, declarou, na verdade, que O BRASIL NÃO TEM MAIS INTERESSE EM INVESTIR EM LANÇADORES DE SATÉLITES GEOESTACIONÁRIOS, COM CAPACIDADE DE 1 a 4 TONELADAS. Portanto, o desenvolvimento do VLS-1 continua de acordo com a disponibilidade orçamentária."

          Não sou eu que estou falando. É A FAB. ENTENDEU AGORA?

        • 16/07/2015  20:32 by corbin07 Responder

          LEIA A RESPOSTA DA FAB PARA A MATÉRIA DO UOL SOBRE O CANCELAMENTO DO PROGRAMA VLS E DEPOIS VOCÊ PODE DISCUTIR QUALQUER COISA! EU NÃO ME BASEIO EM SUPOSIÇÕES, MAS EM FATOS CONCRETOS.

          • 17/07/2015  0:50 by luiz anselmo pias perlin Responder

            Corbin07 eu li a resposta da FAB e foi por este motivo que comentei o caso do general Otto da marinha pois naquela epoca se ele tivece divulgado que queria o aço especial para usar na centrifuga o governo americano teria impedido a aquisição do material e a maior preocupação e motivo dos embargos americanos é justamente no desenvolvimento por parte do Brasil nós lançadores de satelites de grande peso pois são justamente estes que são usados no transporte de armas nucleares que o Brasil já tem condições de produzir e os americanos não esqueceram o general Otto acredito que a FAB esteja fazendo o mesmo jogo lembrando que perdemos 21 vidas para um sabotador e a FAB em honra a estas vidas concretizando o trabalho teremos gratas surpresas.

            • 17/07/2015  7:38 by corbin07 Responder

              Isso que você está falando é sua opinião pessoal e seu sonho. Eu conheço muita gente da área e eles dizem que não sabem nem se chegaremos ter um VLS que carregue 800 kg para os próximos 15 anos. Mas, se tu quer sonhar....

  10. 14/07/2015  21:14 by Leonardo Responder

    Por um momento eu achei que esse satelite era aqui em Alcantra. Triste realidade brasileira, país tinha tudo para ser rico.
    E a sonda da Nasa New horizons, chegou a Plutão esses dias, vão estudar este planeta. E depois próxima parada Galáxia de Andrômeda, parabéns aos engenheiros e colaboradores americanos da Nasa.
    País investe em ciência e tecnológia, vão chegar mais longe.
    Sds

    • 15/07/2015  10:25 by Fernando Responder

      Leonardo
      Sem querer ser chato, mas Galáxia de Andrômeda está fora de cogitação para a humanidade, nem com a propulsão de dobra do Star Trek e nem com um hiperpropulsor do Star Wars seria possível alcançar outra galáxia.

    • 15/07/2015  19:01 by teropode Responder

      Ja estao mais longe , no minimo 30 anos de dianteira !

  11. 14/07/2015  20:49 by luiz anselmo pias perlin Responder

    Quem sabe se Deus quizer um dia destes nós possamos lançar nossos satelites da base de Alcantara me refiro a capascidade de carga e ate cargas superiores que Deus nos abençoe.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.