Por Guilherme Wiltgen

A situação da Fragata Norueguesa HNoMS Helge Ingstad (F313), se agrava, o navio já está adernado por boreste e o nível da água que estava próximo do convoo, já o encobre parcialmente.



Os rebocadores estão trabalhando para evitar que a Fragata aderne totalmente por boreste, onde é possivel ver os danos causados na Fragata pela colisão com o petroleiro de 62.000 toneladas.

Conforme noticiamos mais cedo, comparando a inclinação do navio nas duas imagens, é nítido o agravamento da situação e, por conseguinte, aumentaram as chances do navio ir a pique, pois não foi possível estancar a entrada de água no seu interior.



 

7 Comments

 

  1. 08/11/2018  16:02 by Wolfpack Responder

    Adernou totalmente a boreste https://youtu.be/t_8EIcjUsyc :(

  2. 08/11/2018  14:12 by ghutoz Responder

    esse já era

  3. 08/11/2018  12:59 by _RR_ Responder

    Pelas fotos, fica a impressão de um rombo de uns 50 metros na lateral... Se for mesmo, dificilmente o controle de danos poderia ter feito algo...

    Isso vai custar caro aos noruegueses...

  4. 08/11/2018  12:33 by Andre Responder

    Sempre que esses navios militares se deparam com cargueiros eles levam a pior. Muitos petroleiros tem casco duplo o que reforça a resistência desses navios, por isso suportam colisões com os navios militares. Os porta-contêineres também são bem reforçados por causa dos grandes vãos para comportar as caixas.
    Boa sorte aos noruegueses!

    • 08/11/2018  23:40 by Juarez Responder

      Sim, e verdade, cascos de petroleiros são reforçados, mas as Burkes se chocaram com navios grandes e mesmo se arrastando, chegaram ao porto. a OHP que levou dois Exocet se manteve flutuando. Sabe qual o problema??
      Estes navios europeus de "papel", cruz de ferro de passar roupa com pagode tailandês te exatamente zero de resistência estrutural a impactos no casco. tudo pelo alivio de massa, anteparas fracas, poucos compartimentos estanques, chaparia fina e mal estruturada.

  5. 08/11/2018  10:47 by Victor vargas Responder

    A imagem da Navantia de produzir navios frágeis vai aumentar.

    O navio-patrulha Warao que encalhou no Nordeste brasileiro não pode ser recuperado. Agora essa F310.

    Sei muito bem que dependendo do encalhe (Warao) e do abalroamento o navio sofre danos severos, mas para a imagem da Navantia, mais essa perda, vai trazer consequências.

    Essa classe de navio é belíssima. Porem, muito criticada na Noruega por ter sub armado o navio (capacidade para 32 lançadores Mk41, mas só 8 instalados) e pela corrosão precosse das obras vivas.

    Apesar dos comentários acima, fico feliz pois nenhum marinheiro foi perdido. Que os feridos se recuperem o mais breve possível.

  6. 08/11/2018  9:15 by Tomcat4.0 Responder

    Prejuizo brabo, parece ser uma fragata no estado da arte, ao menos não houveram vítimas graves, mas não deixa de ser barbeiragem, navio cheio de sensores e tudo mais !!!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.