antei 949 sub

Por Thomas Grove

MOSCOU (Reuters) – Um submarino nuclear russo pegou fogo em um estaleiro na província de Arkhangelsk, no norte da Rússia, mas não havia armamentos a bordo, de acordo com relatos de agências de notícias russas nesta terça-feira.

O Ministério de Emergências se negou a comentar sobre os relatos do incêndio no estaleiro de Zvyozdochka, onde agências informaram que o submarino 949 Antei, de 154 metros, estava sendo reparado. Não houve informação de mortes.

“Existe um incêndio no submarino. Estamos lutando contra o fogo agora”, disse uma fonte do estaleiro para a agência de notícias Interfax.

unnamed

Não havia armamentos a bordo do submarino, disse um porta-voz de acordo com a RIA.

A agência de notícias TASS citou uma fonte que disse que o reator nuclear do submarino já tinha sido desativado quando os reparos foram iniciados, alguns anos atrás.

“A zona ativa do reator foi retirada no começo dos reparos, alguns anos atrás”, disse uma fonte.

Agências relataram que o fogo começou durante uma soldagem, causando que materiais inflamáveis iniciassem o incêndio.

Um acidente similar em 2011 quase levou à um desastre conforme as chamas atingiram um submarino nuclear que carregava armas atômicas, de acordo com notícia de uma revista russa meses após o incêndio, contradizendo as garantias oficiais de que não havia armas.

 antei 949

 

8 Comments

 

  1. 08/04/2015  10:14 by Dalton Responder

    Se os danos forem proporcionalmente semelhantes ao incêndio
    ocorrido a bordo do ex-USS Miami em 2012, um incêndio criminoso
    perpetrado por um operário sofrendo de instabilidade emocional,
    o SSGN acima, o Orel, poderá ter o mesmo destino, ou seja, inativado
    e descomissionado já que o custo para repara-lo não compensaria.

  2. 07/04/2015  20:14 by Bosco Responder

    O Ocidente usa mísseis antinavios lançados de submarinos de curto alcance enquanto os russos adotam mísseis de grande alcance (600 km).
    A partir de uma distância tão grande claro que o submarino não estará operando de forma autônoma já que usando seus sensores próprios (lê-se: sonar) não consegue detectar e rastrear nada a essa distância.
    Moral da história, o submarino tem que subir pelo menos na cota periscópica para se comunicar com sua base ou com algum avião de patrulha de modo a poder designar seus mísseis contra alvos tão distantes.
    Na prática, nem precisava ser um submarino, já que a essa distância pode-se usar uma embarcação de superfície.
    A doutrina russa relativa à operação de submarinos é completamente diferente da doutrina ocidental. Na verdade os submarinos lançadores de mísseis de cruzeiro são navios submersíveis, que usam a capacidade de submergir não para poder penetrar na defesa de um navio, uma frota ou de um país, mas sim para escapar do contra-ataque. Esses submarinos operam muito parecido com os SSBNs.
    Não incluo nesse caso os submarinos de ataque, como o Akula, que opera como um verdadeiro submarino como entendemos aqui no Ocidente.

  3. 07/04/2015  19:32 by Fred Responder

    "Foi localizado o incêndio no submarino nuclear Oryol queimando no estaleiro Zvyozdochka na cidade de Severodvinsk, noroeste Arkhangelsk Região da Rússia, disse esta terça-feira o porta-voz Zvyozdochka Yevgeny Gladyshev.

    De acordo com fontes, a borracha entre os cascos interno e externo da Oryol está em chamas perto do compartimento da turbina 9.

    "O fogo foi localizado por equipes de combate a incêndios", disse Gladyshev à TASS.

    "A doca será inundada parcialmente, até cerca da linha d'água do sub, apagando a combustão em uma parte do submarino de difícil alcance", acrescentando que "não existem outras maneiras de expulsar o fogo no sub."

    Gladyshev explicou que o casco interno permanece hermeticamente fechado, e água só vai entrar no espaço entre os cascos interior e externos, onde a tira de borracha está em chamas. Assim, o equipamento no interior da sub não será afetado pela água.

    " A inundação da doca com água continuará até finalmente apagar o fogo", disse ele, acrescentando que a operação vai durar algumas horas.

  4. 07/04/2015  15:22 by Edmilson F. Responder

    Yuri... varias classes estao envelhecidas desses subs, alguns sistemas trocados ou modernizados nao sao compativeis com a fiacao antiga e isso tb da trabalho pra eles nas manutencoes .....mas estaao sempre na midia incrivel!! Simm verdade o misterioso acontecimento com o kursk que tb era dessa classe!!! Miiiisteeeerioooo!!

  5. 07/04/2015  14:07 by César Pereira Responder

    A mídia já diz que a Rússia esta em frangalhos,agora com essa notícia então !

  6. 07/04/2015  13:27 by Marcos F. Responder

    Acho o tamanho desse submarino muito exagerado.

    • 07/04/2015  20:02 by Bosco Responder

      Marcos,
      Esse é exagerado "pros lados" pra poder caber 24 mísseis Granit, que são instalados lateralmente (12 de cada lado da vela). Cada míssil desses pesa 7 t.

  7. 07/04/2015  12:26 by yuri Responder

    ao mesmo tempo que os submarinos russos são bons, eles tambem são problematicos,
    vide.... kursk.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.