Por volta das 16:30Hs (horário da Síria) deste domingo (18), as forças do regime pró-Síria atacaram combatentes da Forças Democráticas Sírias (SDF – Syrian Democratic Forces) ao Sul de Tabqah.

Aeronaves da coalizão realizaram uma demonstração de força e parou o avanço das tropas pró-regime em direção à cidade controlada pela SDF. Após o ataque, a Coalizão contactou os russos afim de parar com a escalada da situação e cessar o ataque.

Às 18:43Hs, um caça sírio SU-22 lançou bombas nas proximidades dos combatentes do SDF, ao sul de Tabqah e, de acordo com regras de engajamento e em auto-defesa colectiva das forças parceiras da coalizão, o SU-22 foi imediatamente abatido por um F/A-18E Super Hornet da US Navy, embarcado no porta-aviões USS George H.W. Bush (CVN 77).

A missão da Coalizão é derrotar o ISIS no Iraque e na Síria. A coalizão não procura lutar contra o regime sírio, a Rússia ou as forças pró-regime, mas não hesitará em defender Coalizão ou as forças parceiras de quaisquer ameaças.

A Coalizão pede que todas as partes que concentrem os seus esforços para derrotar o ISIS, que é o inimigo comum e a maior ameaça para a paz e a segurança regional e mundial.

FONTE e FOTO: US NAVY
TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN

image_pdfimage_print

 

3 Comments

 

  1. 19/06/2017  15:09 by Gilberto Rezende

    A está em curso a armada a confusão, o SDF para o governo Sírio também é um grupo terrorista e está em seu território, para os americanos é aliado na derrubada do "regime" sírio de Bashar Assad...

    Mas cedo ou mais tarde aconteceria ou os russos limitam seu apoio a Síria para não entrar em choque com os americanos ou os americanos desistem de apoiar diretamente as milícias não-DAESH contra o governo sírio para não entrar em combate com os russos...

    Quem piscar primeiro morre...

  2. 19/06/2017  18:07 by M. Silva

    A "coalizão" defenderá os inimigos da Síria, mas amigos dos planos sionistas: expulsar e massacrar os árabes da Síria e do Iraque, criar o "Grande israel" até o Eufrates, criar o Curdistão como prêmio pela fidelidade à causa, talvez uma WW3, etc.

  3. 20/06/2017  7:10 by Leonardo Rodrigues

    Apoiar terroristas poderá ou não, somente dependerá de quem. simples assim!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.