O governo taiwanês denunciou nesta quarta-feira (11/01) que a China enviou uma frota naval,liderada por um porta-aviões, ao Estreito de Taiwan, que separa o país insular da China continental, acirrando as tensões entre Pequim e Taipei.

As autoridades de Taiwan pediram que a população mantenha a calma, informando que aviões e navios militares monitoram a movimentação dos navios chineses. Caças F-16 e a sistemas militares de vigilância do Japão acompanham de perto a situação.

“Quero ressaltar que nosso governo tem capacidade suficiente de proteger nossa segurança nacional. Não é necessário entrar em pânico”, afirmou o ministro do Conselho de Assuntos Continentais de Taiwan, Chang Hsiao-yueh. Ele avalia que 2017 será um ano difícil para as relações sino-taiwanesas e destacou que “ameaças não vão beneficiar os laços entre os dois lados do Estreito”.

Poderio militar

O porta-aviões Liaoning, o único que a China possui, retornava do Mar da China Meridional. A embarcação foi enviada no mês passado para uma visita ao território disputado entre Pequim e seus vizinhos na região, localizado numa das principais rotas do comércio marítimo mundial.

O Ministério da Defesa de Taiwan afirma que a frota chinesa não invadiu as águas territoriais do país, mas entrou numa zona de identificação de seu espaço aéreo ao navegar numa linha que divide o Estreito de Taiwan entre territórios de Pequim e Taipei.

Analistas afirmam que a manobra seria uma manifestação da intenção de Pequim de assegurar seu domínio sobre a região, se necessário, utilizando força militar.

Encomendado pela China em 2012, o Liaoning foi construído a partir da estrutura de um porta-aviões soviético, se tornando símbolo da sofisticação e do poderio militar do país.

Desde a cisão entre Pequim e Taipei em 1949, a relação entre os dois lados é caracterizada por uma trégua instável. Os laços se deterioraram ainda mais após a eleição da presidente pró-independência Tsai Ing-wen, em maio de 2016. A China alertou sobre os riscos de acirramento das tensões caso o novo governo questione a soberania chinesa sobre Taiwan.

FONTE: Terra
image_pdfimage_print

 

12 Comments

 

  1. 11/01/2017  17:40 by Jose Luiz Esposito

    Qual o problema da Marinha da China navegar no Estreito de Taiwan ? Estão fazendo queixas aos EUA , coitados ,em caso de Invasão nada farão ,a não ser botar a Boca no Mundo chamando os Chineses de Feios ,etc . A China se Reunificará brevemente , e só ; e tem esse direito !!

  2. 11/01/2017  18:14 by Rudi

    Na 2 foto o helicoptero que fica pairando no ar, parece que tem alguma coisa em baixo dele?
    seria um radar tipo AEW? TKS

  3. 11/01/2017  18:28 by Guilherme Wiltgen

    Rudi,

    Isso mesmo, é um Z-8 (Super Frelon) AEW (Airborne Early Warning).
    Abs

  4. 11/01/2017  20:06 by karlos batista

    Boa tarde.
    Até o BRASIL ajuda no treinamento das equipes que irão comandar o porta-lixo chinês.
    Um porta aviões para ser full operacional necessita de VÁRIAS EQUIPES e que estas necessitam ANOS de treinamento,ou seja,os atuais em treinamento nãl estão aptos para um confronTo militar e quando estiverem já estarão sendo aposentados,talvez junto com a sucata da sucata do porta-lixo chinês,que veio da Hungria como suporte para treinamento e não operações.Aliás os aviadores chineses AINDA treinam na maioria das vezes em simulacros de pátio de porta aviões construídos em solo.

  5. 11/01/2017  20:09 by Wellington Góes

    Os chineses são dignos de se tirar o chapéu. Apesar de nunca ter sido usado, o NAe chineses era, praticamente, uma sucata e o transformaram em uma belonave melhor do que o seu irmão russo. Dá para perceber a velocidade que alcança, sem aquele fumaceiro dos diabos. O Navio está tinindo de novo.

  6. 11/01/2017  20:23 by karlos batista

    boa tarde..
    ops...UCRANIA era a proprietárIa da sucata que a China FEZ BOIAR,comprada da Russia.
    acôrdo BRASIL/CHINA para ensinar chineses a operar porta-aviões.

  7. 11/01/2017  20:26 by karlos batista

    "a China se reunificará"..É UM DIREITO..
    mais um comuna anti-americano..#$@!!!
    site é sobre forças militares cara..

  8. 12/01/2017  1:35 by Augusto de Paula

    karlos batista,

    Só de olhar as fotos: você acha que algum brasileiro tem moral para dizer do que os chinas necessitam para operar seu navio-aeródromo? Mesmo? Treinamento não é exatamente isso que vemos nas fotos, que também estão recheadas de escoltas? E ao que tudo indica, eles já estão em vias de construir um terceiro navio-aeródromo. Agora, coloque a viola no saco porque o São Paulo já virou uma grande piada. São planos e mais projetos infinitos, enquanto os chinas treinam e produzem. Não é inteligente o que você diz.

  9. 12/01/2017  3:31 by Usamu

    O estreito tem uns 130-160 km de largura com Taiwan em uma margem e a China continental na outra, navios da marinha chinesa navegando neste estreito deve ser algo comum...

  10. 12/01/2017  14:07 by Ricardo

    "A China se reunificará... e tem esse Direito". Concordo, a China capitalista, sediada em Taiwan, tem o direito de reaver a China continental, expulsando de uma vez por todas o cancro comunista que lá se instalou.

  11. 12/01/2017  14:31 by Leonardo Rodrigues

    Vocês viram no texto que a presidente é pró independência, isto é, apesar do texto dizer o contrario e se contradizer no final a ilha faz parte da China Continental. Taiwan goza de autonomia política e foi substituida no conselho de segurança da ONU pela China Comunista. Apesar de que alejam independência ou o fim do partido comunista, este, jamais abriria mão da ilha formoza e pescadores.

  12. 14/01/2017  17:48 by Marcelo Hceh

    Vocês que criticam a China continental (que já deixou de ser comunista a anos) e os comunismo, por um acaso sabem o que é COMUNISMO? Pelo amor só vi falarem ...., sem base alguma. A China continental tem direito sobre a ilha de Formosa sim, essa se separou por medo de uma revolução que já se entregou ao capitalismo a pelo menos duas décadas. Essas notícias de que a China estava passando pelo Estreito de Taiwan chega a ser ridícula de tão anti-China que é, Estreito de Taiwan tem águas internacionais e é direito de qualquer nação a livre circulação por ali, até se o Brasil quiser passar com uma fragata ou qualquer outro navio da nossa marinha de guerra nós temos esse DIREITO, são águas internacionais. Não vejo grande alarde da mídia quando a US Navy manda seus navios a milhares de milhas de seu litoral navegarem próximo a fronteiras de Zona Econômica Exclusiva de inúmeros países.

    MODERAÇÃO: Marcelo favor atentar às regras do DAN e não escrever palavrões no comentários futuros.
    Grato

Leave a reply

 

Your email address will not be published.