O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje em coletiva de imprensa que o seu país tem várias opções para conter as atividades do governo do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, incluindo ação militar.

“Temos várias opções para lidar com a Venezuela e não vamos descartar uma opção militar”, disse Trump ao ser questionado por um jornalista sobre a abordagem de seu governo para com o país vizinho. “A Venezuela é uma bagunça, uma bagunça muito perigosa“, disse o republicano.

Durante suas férias em Bedminster, Nova Jersey, o presidente ainda afirmou que “adoraria uma solução pacífica em relação à Coreia do Norte“, com quem seu governo tem trocado ameaças de ação militar. “Podemos ter, também, uma solução ruim”, completou.

A escalada das tensões entre o governo Trump e os líderes da Venezuela e da Coreia do Norte acontecem na esteira da aplicação de sanções contra as duas nações pelos Estados Unidos. Washington se opôs fortemente à votação da assembleia constituinte na Venezuela e vem alertando o governo Maduro de que suas ações contra a democracia trariam consequências. O presidente venezuelano, no entanto, se dispôs a ter um encontro com Trump, em um discurso à assembleia constituinte recém eleita, na noite de ontem.

Em relação à Coreia do Norte, Trump endureceu sua retórica após Pyongyang ameaçar atacar o território norte-americano de Guam, no Pacífico. Na coletiva, o presidente americano disse que não conversou com o representante de Guam, mas garantiu que os residentes estão “muito seguros”. “Se acontecer alguma coisa com Guam, a Coreia do Norte terá problemas”. Mais cedo, Trump disse que o líder norte-coreano, Kim Jong un, vai se “arrepender rapidamente” se continuar com suas ameaças aos territórios norte-americanos”.

Em sua conta no Twitter, o presidente disse que soluções militares para a crise estão “a postos, protegidas e carregadas“. Em seguida, ele compartilhou uma mensagem da Comando do Pacífico dos EUA que mostrava aviões bombardeiros no território de Guam.

FONTE: Veja

 

12 Comments

 

  1. 12/08/2017  9:02 by Cesar

    Isso é o que acontece para quem não investe verdadeiramente nas suas forças armadas, apesar da Venezuela ter feito aquisições importante de armamentos, são forças que não dispõe de submarinos em quantidade nem mísseis de cruzeiro e principalmente armamento nuclear. É o mesmo caso do Brasil um verdadeiro bobo da corte em se tratando de poder militar.

  2. 12/08/2017  14:56 by jeka

    Que vovô mais loki. Não consegue nem combater o ISIS, muito menos intimidar a Coreia do Norte. Agora quer a Venezuela. A democracia 'pira'.

  3. 12/08/2017  15:24 by Andre

    Mas quem esteve no governo brasileiro nos últimos treze anos César? Os mesmos que colocaram Hugo e Nicolas na presidência venezuelana. Equipar a segunda maior força militar do continente é um tiro no pé dos socialistas. Não tem dinheiro para o Sisgaaz, Sisfron, prosuper, bateria anti-aérea, porta-avião etc mas tem dinheiro para copa, olimpíada (piada), porto cubano, refinaria boliviana etc. "Olavo tinha razão", mas agora é evidente. Não tem mais como esconder os podres como antes.

    A globo noticiou essa atitude do presidente norte americano como se ele fosse um tirano. Então fica mais fácil enganar os menos interessados em geopolítica trocando o papel de vilão da história. Talvez seja até por isso que muitos defendem o socialismo/comunismo por saberem manipular as informações a seu favor. Antônio Gramsci também tinha razão quando não optou por implantar a ditadura de forma imperativa, mas sim de uma maneira mais rasteira, imperceptível, vagarosa e parasita com o uso da mídia, universidades, escolas, meio artístico e onde mais possam gerar mais "idiotas úteis". E deu certo! Tirar a vontade do inimigo de lutar é mais fácil.

    É por isso, também, que sempre defendo o presidente americano: se lhe tirarem a vontade de lutar, a liberdade de intimidação do norte coreano e do venezuelano ficam mais fácil. É por isso que a mídia sempre critica o presidente americano quando ele não fica calado nessas situações, é uma tentativa de intimidação. Se os Estados Unidos são passivos é considerado medroso; se reage é chamado de tirano. Tirania e ameaça são as palavras que mais se usa nesse tipo de crise.

  4. 12/08/2017  15:43 by Topol

    É... depois que o Putin chutou o traseiro dele do Trump lá na Síria a gigantesca industria carniceira bélica Norte Americana vai precisar de um novo conflito com urgência para manter os níveis de lucro dos acionistas... Venezuela pode sim ser uma opção tudo vai depender de como Maduro irá reagir

  5. 12/08/2017  15:54 by Leonardo Rodrigues

    Simplesmente perfeito Cesar.

  6. 12/08/2017  16:43 by jose luiz esposito

    Isto aí Cesar , embora tenho certeza que que Palhaço americano somente tenha jogado Conversa Fora , desde que este Imbecil assumiu tenta criar conflitos , Síria , Irã , Coreia ,agora Venezuela , esta na Cara que não passa de um Doente Mental , mas para as nossas FFAA e nossos Políticos tomem Vergonha na Cara , estamos Gastando Dinheiro muito mas não o Suficiente para mantermos FFAA que Brincam de DEFESA !!

  7. 13/08/2017  14:18 by Andre

    Ninguém vai criticar o Maduro não?

  8. 13/08/2017  16:02 by Kemen

    Fanfarrão ! Sem tendencias politicas, Venezuela não é Nicaragua, Panama, Honduras, Costa Rica ou Republica Dominicana, se entrar na chuva vai se molhar, além de ter a rejeição de muitos paises latino americanos, mas vejamos acredito que uma ação dessas iria incentivar a produção e a venda de armamento inclusive norte americano para a America Latina, dessa forma ele criaria mais empregos conforme prometeu.

  9. 13/08/2017  16:26 by M. Silva

    Os comunistas não criticarão o Maduro nem na hora que ele se revelou Podre.

    Esta é a mentalidade esquerdista: negar a realidade, viver na fantasia e na loucura.

    Tomara que o Trump faça realmente algo - esse mamão Maduro precisa cair...

    "Olavo tinha razão".

  10. 13/08/2017  17:04 by _RR_

    José luiz esposito,

    como assim "tenta criar conflitos"...? Ao contrário, Trump sempre foi critico aberto da politica externa americana. Tirou os EUA do atoleiro sírio ( por Obama, já teriam invadido a tempos, e foi a opinião pública que não o deixou fazer o que queria ) e somente se moveu contra os coreanos do norte por conta da retórica norte coreana recente. E quanto ao Oriente Médio em geral, eles não precisam de Trump para gerarem conflitos...

  11. 13/08/2017  17:08 by _RR_

    Topol,

    Kemen...

    Industria bélica americana...? Lamento, mas a industria bélica responde apenas por uma parte da economia americana; e embora seja grande isoladamente, é pequena se comparada com todo o resto... E o maior lobby, de longe, é o do agronegócio...

    Quanto a empregos, isso ele já está criando desde que assumiu, flexibilizando a economia dos EUA e fazendo o possível para trazer empresas de volta.

  12. 13/08/2017  17:17 by _RR_

    Quanto a matéria,

    Pra mim, essa retórica de Trump pode ter o efeito certo. O próprio Maduro sinalizou recentemente que está disposto a conversa.

    E mais: essa pressão ainda obriga os outros interessados nessa questão a tomarem uma posição; em particular chineses e russos, que tem ali um de seus baluarte para semear influência nas Américas. Ou eles se posicionam, ou verão seu soft power ser reduzido a nada... Como não tem os meios para agir diretamente, chineses e russos somente vão poder ficar de beicinho e então mover-se no sentido de minimizar danos, assegurando posições mais fortes junto aos outros países da região... Os chineses, aliás, já sinalizaram que estão saltando fora com o desmoronamento da Venezuela, deixando os russos como player principal do "lado de lá"...

    E com isso, Trump vai pondo todo mundo na roda, obrigando os passivos a tomar decisões e deixando os "pseudo grandes" de calças na mão...rsrsrs

Leave a reply

 

Your email address will not be published.