As declarações foram feitas em uma entrevista ao jornal britânico “The Times of London” e ao alemão “Bild”, a poucos dias de assumir a presidência dos Estados Unidos.

Trump afirmou que pretende oferecer ao Reino Unido um acordo comercial rápido e “justo” pós-Brexit. “Penso que o Brexit acabará por ser uma coisa ótima. Eu o previ mas, recebi críticas incríveis”. E disse: ‘É porque as pessoas não querem que outras pessoas venham e destruam o seu país. Penso que o Reino Unido foi muito esperto em sair”.

O presidente-eleito dos Estados Unidos disse que a chanceler alemã é “de longe, a mais importante líder europeia”, mas criticou fortemente a política de “portas abertas” de Angela Merkel, que permitiu a entrada de mais de 1 milhão de refugiados desde 2015: “Tenho grande respeito por ela, penso que é uma grande líder. Mas acho que ela cometeu um erro bastante catastrófico, ao receber todos esses ilegais, aceitando todas as pessoas, independentemente de onde vinham… E ninguém sabe realmente de onde vêm…”.

Tal como fez durante a campanha, Trump voltou a criticar a OTAN e os seus aliados, que diz não cumprirem com a sua parte, quando os Estados Unidos asseguram, por si só, cerca de 70% das despesas militares da Aliança Atlântica: “Disse há muito tempo que a OTAN tem problemas e um deles é que ela está obsoleta, porque foi desenhada há muitos, muitos anos. Em segundo lugar, os países não estão pagando o que devem”.

Com um desejo de aproximação com o Kremlin, que inquieta os parceiros da OTAN, Trump evocou ainda a possibilidade de pôr fim às sanções contra a Rússia, em troca de um acordo de redução das armas nucleares com Vladimir Putin.

FONTE: Euronews
FOTOS: Ilustrativas