A Cerimônia de Comissionamento marca a entrada de um navio no serviço ativo na US Navy (Marinha dos Estados Unidos). No momento em que o galhardete for hasteado no mastro, o USS Washington (SSN 787) torna-se um navio da Marinha americana e ocupa seu lugar ao lado dos outros navios ativos da Frota.

Existem atualmente três classes de SSNs (submarinos de ataque) em serviço (49 no total). O USS Washington pertence a classe Virgínia, e tem como característica, ser mais capaz de operar em águas litorâneas. Os submarinos classe Virgínia possuem capacidade para suportar forças de operações especiais (SOF) convertendo uma sala torpedo em uma área para pessoal SOF e seus equipamentos. Além disso, as operações de mergulho podem ocorrer com maior facilidade devido a uma grande câmara de bloqueio para mergulhadores.

Os submarinos classe Virgínia Block III apresentam um arco redesenhado, que substitui 12 tubos de lançamento individuais por dois tubos de carga de grande diâmetro, cada um capaz de lançar seis mísseis de cruzeiro Tomahawk, entre outras mudanças de design que reduziram o custo de aquisição dos submarinos, mantendo seus excelentes recursos para o combate.

Quanto custou esse submarino? US $ 2,6 bilhões e ele foi construído pela General Dynamics e Huntington Ingalls Industries-Newport News Shipbuilding. Esses são os dois únicos estaleiros navais dos EUA capazes de construir navios de energia nuclear.

O primeiro comandante do USS Washington é o Commander Gabriel Bernard Cavazos, natural de San Antonio-Texas, tendo servido anteriormente em 3 diferentes submarinos nucleares, e Imediato no USS Ohio (SSGN 726).

A madrinha do submarino, Sra Elizabeth Mabus, filha do ex-SECNAV Ray Mabus, teve a honra de trazer o navio à vida.