mansupvoando

O programa da Marinha do Brasil de desenvolvimento do primeiro Míssil Antinavio de Superfície (MAN-SUP) com tecnologia nacional está na fase de montagem dos primeiros protótipos, divulgou a Fundação Ezute, empresa que participa na gestão dos requisitos técnicos do míssil. “O desenvolvimento do MAN-SUP é um projeto de longa duração que se iniciou em 2010. Hoje, estamos iniciando a montagem dos primeiros protótipos e em breve terão início os seus testes”, explica a diretora de Defesa da fundação, Andrea Silva Hemerly.

Além de dotar a armada brasileira de mísseis antinavios nacionais, atendendo às suas necessidades operacionais, o Programa MAN-SUP da Marinha tem o objetivo de garantir ao Brasil o domínio e a autonomia tecnológica em todo o ciclo de vida de armamentos desta classe, desde o desenvolvimento até a operação e a manutenção,em parceria com a indústria nacional de defesa.

man-sup

A nacionalização dos componentes do armamento conta com o apoio da Fundação Ezute – responsável pela gestão dos requisitos técnicos do míssil, da interface entre todos os subsistemas e das atividades de validação dos componentes do projeto – além de Avibras, Mectron, Omnisys e do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo. “As empresas utilizam a plataforma de gestão da Ezute, que propicia uma visão integrada do empreendimento aos partícipes, além de também prover áreas reservadas a cada organização para apoio à gestão de sua parte do escopo”, conta Andrea.

FONTE: Industria de Defesa & Segurança

 

19 Comments

 

  1. 15/10/2016  2:14 by Topol Responder

    Melhor que nada... Qual país sul-americano possui um desses? Hã? Ninguém. ... só lamento não ser super sônico. .. precisamos partir logo para o ramjet.

  2. 13/10/2016  11:36 by HMS_TIRELESS Responder

    Parabéns ao Brasil! No século XXI desenvolvendo tecnologia dos anos 70

  3. 13/10/2016  7:15 by JHA Responder

    Alguém sabe me dizer qual será o alcance dele?

  4. 12/10/2016  23:57 by gogue Responder

    vergonha esta imagem do missil é apenas ilustração animada, e cade a real ops brasil não tem.Atrasados do tamanho que é a costa br já era pra ter faz é tempo um missil antinavio nacional.

  5. 12/10/2016  20:45 by RRONIN Responder

    Hoje os atuais desenvolvimentos de misseis anti navios estão focados em alta velocidade, como o Brahmos/Onyks, ou no longo alcance, como os Kh-32, P-1000, LRASM ou YJ-100. Espero que uma próxima versão seja mais adequada a atual realidade neste tipo de combate.

  6. 12/10/2016  19:45 by R Responder

    Talvez um híbrido deste com o AVTM-300, ou uma versão deste mesmo usando o motor ramjet do missil tático ou um ramjet menor proporcionaria um artefato com alcance que se igualasse ao último, 300 km. Isso nos daria um armamento parecido com o MM-40 Block 3 que, com versões lançáveis de aeronaves e submarinos nos daria uma arma extraordinária.

  7. 12/10/2016  13:46 by Foxtrot Responder

    Uma pena que as empresas que participam desse projeto, ou foram vendidas para as multi estrangeiras ou as poucas nacionais que sobraram foram ou estão sendo desmanteladas; como o caso da importantíssima Mectron.
    Perigo real e imediato para a capacidade fabril militar do país.

  8. 12/10/2016  13:41 by luiz anselmo pias perlin Responder

    Meu sonho um Brasil totamente independente na area militar é uma otima noticia.

  9. 12/10/2016  13:14 by Aurélio Responder

    Como alguém aí acima já comentou, tudo dependerá da continuidade das encomendas. Se houver encomendas, esse míssel evoluirá. Para isto, basta a MB utilizá-lo com regularidade em exercícios de lançamentos reais. E , claro, recompor os estoques.

  10. 12/10/2016  12:13 by Pedro2964 Responder

    podiam desenvolver com motor ranjet pra ter maior alcance

  11. 12/10/2016  12:13 by Carlos Franca Responder

    Na espera pra ver os vídeos dos testes!

  12. 12/10/2016  11:54 by Tiago Silva Responder

    Espero sinceramente que não fique limitado apenas a versão de lançamento a partir de meios navais, gostaria muito de ver este armamento integrado a outros meios como plataformas terrestres(ASTROS 2020?) e aéreas (H225M,P-3,A-1). Precisamos ampliar a capacidade dos meios e depender menos de fornecedores externos, para alguns pode ser um pequeno passo mas enxergo com otimismo.

  13. 12/10/2016  11:04 by Cleber Responder

    Antes tarde do que nunca já dizia um ditado , concordo com o Celso acima .

  14. 12/10/2016  9:27 by Celso Responder

    Vamos ver como se comporta este MM 40...rsrsrsrsrsr da primeira geracao ainda........mas ja eh um comeco de aprendizado para desenvolver , construir e operar. Tomara q cheguem ao nivel 3 deste missil bem rapido. Vamos esperar tbm q ocorram encomendas, sem as quais tudo pode e ira pelo ralo bem rapido...as experiencias em geral da ind militar neste pais tem um farto historico de fracassos neste campo qto as encomendas.

  15. 12/10/2016  8:40 by leonardo Rodrigues Responder

    Como temos a expertise de recuperação e revitalização e repotencialização dos exocrt AM 39 e MM40 podemos ter estes mísseis em quantidades significativas garantindo uma capacidade de dissuasão espetacular se este tiver variantes.

  16. 12/10/2016  0:07 by Boiler Responder

    Boa notícia Guilherme! Qual o range de alcance deste míssil?
    Forte abraço ao DAN

  17. 11/10/2016  21:19 by Ricardo Responder

    espero q termine de montar até 2020! se n for vitimas de mais um corte de orçamento. Quase n acreditei na noticia, agora é esperar q seja montada até meados de 2017 ou 2020

  18. 11/10/2016  20:43 by _RR_ Responder

    Grande notícia!!! Não era sem tempo!

  19. 11/10/2016  20:37 by Wellington Góes Responder

    Ótimo, esplêndida notícia, muito, muito boa!!!

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.