O  RFA (Royal Fleet Auxiliary) Tiderace  (A 137) é o segundo navio de abastecimento da classe Tide na Royal Fleet Auxiliary.

A cerimônia de aceitação para o serviço do navio de abastecimento RFA Tiderace (A137), da classe Tide, ocorreu em Portland, no sul do país. O navio foi incorporado ao Royal Fleet Auxiliary após passar por uma série de testes marítimos, durante os quais suas habilidades operacionais e condições técnicas foram confirmadas.



O RFA Tiderace é o segundo navio de abastecimento da Tide no RFA. Foi construído no estaleiro Daewoo Shipbuilding and Marine Engineering em Okpodong, na República da Coreia. Após a chegada da unidade ao Reino Unido ela foi enviada em seguida para Falmouth, no sudoeste, onde passou por obras de acabamento no estaleiro local do A&P Group.

O primeiro dos navios classe Tide, RFA Tidespring (A136), entrou em serviço no outono passado. O terceiro, RFA Tidesurge (A138), está em fase de acabamento em Falmouth. A última unidade, RFA Tideforce (A139), está a caminho do Reino Unido depois de concluído no estaleiro sul-coreano DSME. No futuro, a classe Tide será responsável por apoiar grupos de combate que serão criados em torno dos navios-aeródromo classe Queen Elizabeth, contratorpedeiros Type 45, fragatas Type 23 e 26 e submarinos nucleares classe Astute.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Junker

FONTE: Altair



 

6 Comments

 

  1. 09/08/2018  17:21 by Vovozao Responder

    Padilha a mesma pergunta, você esteve no RU e não ouviu por acaso alguma coisa a respeito da venda/compra do WAVE, com este segundo já fica garantido o suprimento para o Queen Elizabeth, agora eles podem dispor . Não fica guardando está informação só para você, nós estamos ansiosos por este Wave na MB. Não escondas nada

    • 09/08/2018  18:27 by Luiz Padilha Responder

      Meu amigo, nem sempre o fato de estarmos em UK significa saber de algo. Na verdade o foco lá era 100% Atlântico. Não ouvi nada a respeito da classe Wave, mas certamente que se o navio estiver em boas condições e puder operar como o PHM Atlântico irá operar, seria uma boa opção.

  2. 09/08/2018  13:58 by Andre Responder

    Espero que além dos dois navios da classe Wave venham os dois da classe Bulwark, ou seria classe Albion? Nisso já dá baixa no Almirante Sabóia, no Garcia D'ávila e no Mattoso Maia. Agora, se a Marinha achar que a operação desses navios tem condições orçamentárias e operacionais para mais uma década na ativa então o fator numérico de navios dessa categoria passa a ser o foco. Ou, simplesmente coloca os mais antigos na reserva.

    • 09/08/2018  18:34 by Luiz Padilha Responder

      Andre, a RN está gastando um caminhão de dinheiro no HMS Bullwark. Eu o vi lá na Inglaterra sofrendo um PMG. A RN não abre mão desses 2 de jeito nenhum por pelo menos uns 15 anos, ou seja, vamos mirar em outras opções pq essas não vão rolar por agora.

      • 09/08/2018  22:10 by Andre Responder

        Bem vindo Padilha!
        Ainda mais com a retirada do Ocean abrindo essa lacuna na frota deles. Tem uma foto do Bullwark no dique onde o Atlântico também estava docado. De qualquer forma os navios de apoio são mais importantes á marinha, não podemos ser gulosos. Valeu!

  3. 09/08/2018  12:00 by Carlos Eduardo Responder

    boas pessoal
    olha o nosso navio-tanque class wave,chegando

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.