Siria

As nações árabes que inicialmente participaram dos ataques aéreos contra o Estado Islâmico liderados pelos EUA agora começaram a ter preocupações sobre os esquemas de Washington no Oriente Médio e desviaram os seus esforços para lidar com as ameaças que eles consideram sérias, disse à Sputnik especialista militar Vladimir Prohvatilov.

“Muitos sabem perfeitamente que os EUA não têm realmente interesse em derrubar o Estado Islâmico. O objetivo real de Washington é criar uma zona de caos controlado no Oriente Médio para resolver os seus assuntos geopolíticos e geoeconômicos. A tarefa dos EUA é provocar um conflito sangrento e arrastar outros para ele”, opina o analista.

Os planos de Washington para o Oriente Médio, segundo Prohvatilov, motivaram o novo recém-eleito primeiro-ministro do Canadá de abandonar a campanha anti-EI dos Estados Unidos. Parece que Justin Trudeau não vê a participação do seu país na coalizão liderada pelos EUA como benéfica para o Canadá.

Esta postura não domina só em Ottawa, frisa o especialista. Muitos países árabes que nominalmente tomam parte da operação aérea estadunidense partilham este ponto de vista.

“As pessoas [na Arábia Saudita, Jordânia e Qatar] acostumaram-se com altos padrões de vida e não querem participar de uma guerra. O exército saudita é essencialmente completado por mercenários paquistaneses. Os cidadãos sauditas não têm vontade de combater”, disse.

Os aliados árabes de Washington mudaram a sua atenção para o Iêmen e veem a luta contra os houthis como prioridade.

“Riad vê os houthis como ameaça desde que eles foram capazes de mobilizar até 200 mil combatentes experientes. O mesmo é justo para a Jordânia e o Qatar. Eles consideram o Iêmen como uma ameaça real enquanto o Estado islâmico é um jogo sutil criado pelos EUA”, manifestou Prohvatilov.

A postura dos EUA em relação aos esforços de Moscou contra o terrorismo na Síria também faz parte deste jogo.

“Os estadunidenses querem que os russos cessem a campanha (para que Washington possa acusar Moscou de derrota militar ou covardia) ou que a expandam para que a Rússia sinta todos os custos de um engajamento militar maior”, acrescentou.

O grupo terrorista Estado Islâmico, anteriormente designado por Estado Islâmico do Iraque e do Levante, foi criado e, inicialmente, operava principalmente na Síria, onde seus militantes lutaram contra as forças do governo. Posteriormente, aproveitando o descontentamento dos sunitas iraquianos com as políticas de Bagdá, o Estado Islâmico lançou um ataque maciço em províncias do norte e noroeste do Iraque e ocupou um vasto território. No final de junho de 2014, o grupo anunciou a criação de um “califado islâmico” nos territórios sob seu controle no Iraque e na Síria.

FONTE: Sputniknews

image_pdfimage_print

 

17 Comments

 

  1. 11/11/2015  18:45 by Wesley Alves Responder

    Entro todos os dias no DAN e vejo os comentários de todos mas pouco comento algo. Mas tempos que venho observando os comentários do RR. Aqui no meu Ceará ele seria chamado de café com leite (termo usado para crianças inocentes). Fico impressionado com tamanha inocência do amigo. Mas assim como no Ceará, pessoas café com leite devem ser ignoradas, como nas brincadeiras de criança. Ignorem ele, um dia a maturidade chega. A partir de hoje, quando ler RR, pularei pro comentário seguinte. Vlw

    • 11/11/2015  20:10 by _RR_ Responder

      Caro Wesley,

      Como disse acima, apenas não acredito em teorias de conspiração... E a razão é simples: nenhuma delas resiste a um momento de raciocínio lógico, como exemplifiquei acima...

      No mais, sinto muito por pensar fora do padrão anti ocidente e sempre buscar analisar ambos os lados de uma questão... Acho que posso realmente ser considerado uma pessoa pouco ortodoxa, no final das contas... rsrsrs

      A propósito, é direito seu ignorar-me... Mas pode ter certeza: quando ler Wesley Alves, vou ficar atento. E se tiver alguma coisa que não concorde, usarei meu direito de dar o meu "pitaco", assim como não ousarei questionar o seu de conversar, se assim o desejar.

      Saudações...

    • 12/11/2015  9:25 by Topol Responder

      Wesley... o RR é um Yankófilo lascado mas ele é legal, além que aprendemos muito conversando com esses tenazes defensores da liberdade (que estão tendo um suador danado nesses últimos dias) pois proporciona que o debate se aprofunde mais e que mais coisas possam ser esclarecidas.

      Saudações

  2. 11/11/2015  13:55 by Adriano Responder

    Boa abordagem Topol! No Oriente Médio e norte da África a politica americana e de seus subordinados tem sido desastrosa, e portanto indefensável, eles conseguiram com suas intervenções deixar o que estava ruim muitooo pior.Com relação a Síria a ajuda russa traz uma luz ao governo sírio senão seria mais uma nação mergulhada no caos. Interessante o caro RR estudar um pouco a história e averiguar que alguns países necessitam de governos ditatoriais, pois só assim conseguem trazer um minimo de progresso ao seus habitantes. O número de mortes e destruição reinante, pré e pós intervenções principalmente americanas atestam o que afirmo. abraços

    • 11/11/2015  16:32 by _RR_ Responder

      Caro Adriano,

      Talvez seja o colega que deveria avaliar melhor seus estudos. Se o fizesse, estou certo de que entenderia que TODOS os países que adotam um sistema democrático se tornam mais prósperos, e que ditaduras em geral se tornam rígidas demais para serem práticas e trazer benefícios de longo prazo para uma sociedade...

      Ditaduras são regimes despóticos por natureza, que vão ao sabor de um grupo muito limitado de pessoas. Na tentativa de frear outros poderes que possam emergir na sociedade ( contra revolução ), terminam sempre passando pela privação da liberdade individual e econômica, gerando efeitos acumulativos na forma de dissidências que tendem sempre a crescer... Logo, toda a estabilidade advinda desse sistema se torna ilusória, pois gera danos colaterais imensos que uma hora ou outra explodem em caos... Exemplos não faltam, e a Primavera Árabe é o exemplo mais recente...

      É evidente que a adaptação ao regime democrático é tensa e oferece desafios, que muitas vezes resultam em estruturas caóticas, posto a população não se adaptar em um primeiro momento a liberdade de escolha ( normalmente advindo de uma questão cultural, como ocorreu na Europa no período entre guerras ). Mas a partir do momento em que o regime se consolida, que se torna parte da cultura da sociedade, então ele gera um equilíbrio natural entre todas as vertentes de uma sociedade.

      Mas seja como for, não questionei isso no meu comentário... O que questionei principalmente foi essa "estória" de "caos controlado" provocado pelos EUA. Isso, pra mim, não tem cabimento algum...

  3. 11/11/2015  10:38 by dilson queiroz Responder

    ...........mesmo o mais ingênuo ou corrupto dos países árabes lacaios dos EU percebe que se o dito cujo é capaz dessa canalhada de "fazer" uma coisa e "fingir que faz outra" êle, país lacaio poderá ser a ´próxima vítima....ou dos EU ou da Rússia....e começa a "saltar fora"......os ratos fogem do navio...kk..........................

  4. 11/11/2015  8:07 by Munhoz Responder

    Então como explicar o apoio dos EUA a grupos supostamente moderados que desertaram para o EL eu particularmente acho que os EUA seguem uma péssima politica externa, e muitas vezes os próprios árabes enganam eles .

  5. 10/11/2015  18:35 by _RR_ Responder

    Afff...

    "Muitos sabem que os EUA não tem interesse em derrubar o Estado Islâmico..."

    E porque não teriam...? O EI está sistematicamente destruindo TODO o trabalho dos EUA nas ultimas duas décadas... Só não tomaram uma atitude mais enérgica por conta de Obama, que vem se provando pouco mais que um populista receoso... A expansão do EI está diretamente relacionada a retirada precipitada dos EUA, motivada principalmente ao sabor do eleitorado...

    "O objetivo real de Washington é criar uma zona de caos controlado no Oriente Médio para resolver seus assuntos geopolíticos e geoeconômicos..."

    E de onde ele tirou essa conclusão...? Primeiro de tudo: caos não se controla... E os "objetivos geopolíticos e geoeconômicos passam essencialmente por um petróleo barato para manter aquecida a economia americana; coisa impossível de se ter em uma zona de guerra...

    E se quisessem mesmo o caos, então não precisariam fazer nada... Não teriam removido Saddam, continuariam pressionando pelo embargo contra os persas e manteriam os árabes armados até os dentes, além de não fazerem nada pra auxiliar os curdos... Pronto. Já teriam a "tensão" de que tanto precisam e manteriam a Península Arábica a sua mercê...

    Quanto aos sauditas, jordanianos e companhia, me arrisco da dizer que não tem vontade de combater porque são em sua maioria sunitas... E o EI é essencialmente uma organização sunita... A guerrilha iemenita, por outro lado, é xiita ( apoiado pelo Irã )... Logo, é óbvio que vai ter o foco dos caras...

    A grande reclamação dos americanos com relação aos russos é que até agora a maior parte dos esforços destes tem se concentrado em áreas de domínio do ELS, e não contra o EI... Fora isso, o que os americanos cobram é a "política do prego": ou dá logo a marretada, ou deixa pra outro fazer... Simples assim... E eles tem experiência de sobra pra aconselhar isso... Então, não tem nada a ver com "acusação de fracasso ou covardia"...

    • 10/11/2015  23:53 by Topol Responder

      RR

      O EI pode até estar "destruindo o trabalho dos EUA" mas lembre-se que esse grupo é um efeito colateral de sua própria política irresponsável, portanto cabe a eles a culpa por sua existencia, se não fosse a intervenção deles o EI sequer existiria, muito menos possuiria o grau de armamentos, dinheiro e treinamento que receberam/recebem dos EUA. FATO ESCANCARADO.

      A zona de caos controlado pode existir sim, e existe, é o que estava acontecendo lá nos últimos 2 anos e meio, a Síria estava e está um caos, os EUA detinham o controle para acabar com aquilo quando bem entendessem, porém não tinham nenhum interesse em agir efetivamente justamente para manter o caos ainda que sob controle... nos explique você então como sagaz advogado dos yankees, porque diabos a Rússia em 30 dias de ataque botou o EI para correr e os EUA em 2 anos e meio tiveram resultados bem abaixo disso ???

      Sua intenção não pode ser outra a não ser "manter o estado de caos" para conseguir a baixa do presidente Assad e só depois entrar arrebentando seus próprios capangas rebelados e plantar mais um "DEMOcracia" na marra, coisa que já se provou ineficaz, vide a Líbia e o Iraque, mas eles insistem em intervir graças aos sblimes e incontestáveis "interesses" da nação.

      Outro ponto que não concordo nenhum pouco em seu comentário é quando você diz que se eles quisessem um estado de caos bastava que não fizessem nada, mas você sabe muito bem embora não queira admitir que Sadam Hussein assim como Kadaffi e Assad, apesar de ditadores, mantinham a ordem em seus países e até prosperidade para sua população que respeitasse o regime... gostaria de ter a oportunidade de perguntar para aquele povo se eles preferiam que os tempos sob o comando de seus déspotas ditadores voltassem ou se preferem como está agora, acho que todos nós sabemos a resposta.

      E a coisa mais absurda dentre todas as que você escreveu foi que Washington está insatisfeito com a política do prego russa "ou dá a marretada ou deixa outro fazer", RR você só pode estar brincando, né se os russos entraram no lamaçal yankee justamente porque os EUA estavam a 2 ANOS E MEIO segurando o prego em uma mão a marreta na outra e nada, agora você tem, a CORAGEM DE ESCREVER UMA COISAS DESSAS, É MUITA CARA DE PAU.

      • 11/11/2015  11:08 by Edilson Responder

        Comentário perfeito.
        Para desespero dos incautos, e com a permissão dos editores, segue o link de um vídeo mostrando uma caravana de Toyotas no deserto Sírio, devidamente escoltadas por um helicóptero que, segundo indicado no vídeo, é um Apache. Com a palavra, os especialistas.

        https://www.youtube.com/watch?v=KFFb5E22TvE

        Se procurarem por este título também vai aparecer
        United States Apache attack helicopter following behind ISIS convoy into Syria from Iraq

      • 11/11/2015  12:34 by _RR_ Responder

        Topol... :)

        Ai ai... Vamos lá...

        Então quer dizer que todos os AKs, RPGs, as RPK e até os blindados BMP e CC "T qualquer coisa" que já se viu nas mãos do EI vem dos EUA...? Vai ver a CIA tem algumas fabriquetas por lá... Só pode...

        Arma no OM é o que não falta, meu querido... Já parou pra pensar que essas armas do EI podem vir de butins de suas ações ( provavelmente a maior parte ) e outros métodos, como o tráfico...? Já parou pra pensar que ali podem estar ex. combatentes dos exércitos da região e que dali pode estar vindo a maior parte do treinamento dessa organização...? Acho que não...

        Acho que pra você também não importa que o EI foi engrossado pelas massas sunitas iraquianas, descontentes com os EUA principalmente por terem colocado um governo essencialmente xiita no Iraque; o que também explica o porque da Península Arábica estar fazendo beicinho e dos EUA não terem tomado nenhuma providência antes ( desagradar os aliados e se meterem naquela toca de gatos; além do típico "populismo obamistico" ).

        Os russos só agiram quando viram que Assad ia cair, e levar com ele a base em Tartus e o pouco que restou da influência russa na região... Até então foram quase três anos esperando pra ver o que rolava, caso não tenha notado... Nesse meio tempo, deixaram os sírios quase que a própria sorte...

        Repito: caos não se controla. E a própria Síria é um exemplo... Ou acha mesmo que existe como controlar aquela massa de jihadistas...? Me poupe, Topol... Todos os grupos que dizem lutar contra o EI estão ali por causa própria e volta e meia trocam tiros entre eles... Até mesmo o termo "caos controlado" é um contra senso...

        Saddam Hussein, Kadaffi e Assad são ( ou eram... ) opostos diretos aos interesses da Península Arábica... Logo, eles por si mesmos eram um fator de instabilidade na região... E isso bastaria, caso o interesse americano fosse mesmo manter aquela região em permanente tensão e comendo na mão deles. Quer dizer, manter o "status quo" já era bom o bastante... E seja como for, o interesse americano não é o único na região... A questão líbia por exemplo teve mais dedo europeu que americano...

        Enfim, que os americanos tem culpa no cartório, isso é óbvio. Mas o foi basicamente por erros referentes a condução de sua política externa e a falta de percepção real do cenário no qual estavam envolvidos, o que motivou atitudes precipitadas, tais como a retirada do Iraque e a aposta estúpida em um "cavalo paraguaio" como o ELS... Enfim, foram precipitados e incompetentes, mas "é só"...

        No mais, dizer o que... Basta um sujeito não falar de acordo com a "cartilha para tendências revolucionárias" que ele vira "advogado dos americanos"... Pft...

        Bom... Lamento se sou capaz de pensar fora dos "padrões"...

        E a propósito: não acredito em teorias de conspiração...

        Saudações...

        • 12/11/2015  5:47 by Topol Responder

          RR

          Os "T qualquer coisa" foram TOMADOS a força do exército sírio e do exército iraquiano, Não foram ganhados de presentes zerados, novinhos em folha dados por alguém mal intencionado. é totalmente diferente.

          Não há possibilidade de defesa RR contra o que vimos, todos vimos um C-130 carregado até a tampa de armas despejando de para quedas dezenas de toneladas de armas e munição para os terroristas... e esse foi só um dos flagrantes, quantos carregamentos da morte desses tio sam deve ter enviado ? e ainda foram tão pilantras que forneciam treinamento para os terroristas, é mole ou quer mais.

          Você diz que os russos deixavam a Síria a própria sorte e mais uma vez se equivoca pois Putin estava aguardando uma solicitação formal de ajuda feita pelo presidente Assad... um pedido que validasse uma ação oficial e não uma ação suja, por baixo dos panos, traiçoeira, assim como age um bandido. Antes disso os russos não tinham o direito de usar força em terras alheias mas imediatamente após o pedido de socorro as forças de pronto emprego estavam presentes na Síria em apenas 4 dias.

          No mais fico satisfeito que você admite a culpa dos americanos , embora ainda que ingenuamente acredite que não "fizeram por querer"... ora quem não quer se queimar é bom ficar bem longe do fogo... e o que mais me indigna é que mesmo com tantas demonstrações de que essa política externa é errônea eles continuam fazendo a mesma coisa, ou seja, fornecendo armas aos terroristas para fazerem o seu jogo sujo, quem insiste no erro é burro e definitivamente não insiste no erro sem querer e sim por que não admite perder.

          • 12/11/2015  6:47 by _RR_ Responder

            Topol...

            Exato... Os carros de combate são butins, como assim o é a maior parte do armamento do EI...

            Equipamento zerado pode significar tanto quanto simplesmente nada... Muitos AKs e RPGs também tem aparência de serem novinhos... Será que a Russia forneceu direto da fábrica...? Claro que não... Culpar uma arma na mão de um fulano é relativo, e não fornece argumento substancial para culpa direta...

            O principal foco da ajuda americana a mais de um ano são os curdos. Há informações suficientes para se concluir isso... Mas tenho obrigação de concordar que esse armamento pode sim terminar extraviado. Afinal de contas, aquilo é uma balburdia...

            Moscou poderia ter pressionado Assad a aceitar a ajuda mais cedo... Porque não fez...? Por algo tão altruísta como "esperar um pedido formal para não ser uma ação traiçoeira"? Qual é, Topol... Isso sim é ser ingênuo... Tal como os americanos, os russos também falharam em avaliar o cenário...

            E eis um ponto em que absolutamente concordamos: a política americana é tosca para aquela região...

          • 12/11/2015  9:16 by Topol Responder

            RR

            O C-130 que despejava toneladas de armas para quem chegasse primeiro não me parecia ser da VTA.

            O fato dos EUA estarem financiando e sustentando com armas os grupos terroristas na Síria é inconteste... não dá para justificar que as armas eram para Al-Nusra, ou para os Curdos, ou para o Kmer Vermelho ou para o PCC pois na prática são tudo farinha do mesmo saco... o próprio comandante geral das operações russas na Síria afirmou na entrevista que esses ditos "rebeldes moderados" na prática não existe, eles recebem as armas o dinheiro o treinamento e depois agem por livre vontade tocando o terror e deteriorando as chances de paz... de quem é a culpa por fomentar essa atrocidade ? nem preciso dizer.
            Mas lógico que o EI também se aproveitou de muitos espólios das cidades e das tropas derrotadas por eles, não nego isso.
            Sobre que Moscou poderia ter pressionado a Síria para entrar no conflito eu acredito que essa simplesmente não fosse a vontade de Putin, mas que se transformou em necessidade após o pedido formal de ASSAD.... e você mistura as bolas quando tenta me parafrasear com a afirmação:

            "esperar um pedido formal para não ser uma ação traiçoeira"

            perceba a discrepância de sua colocação... Putin poderia NÃO ter esperado um pedido formal e enviado SUAS TROPAS para a Síria espontaneamente e isso não seria considerado uma ação traiçoeira, pelo contrário seria até mais nobre ainda...

            Ação traiçoeira é o que fazem os americanos que não podendo agir com suas tropas devido ao veto russo em 2012, não admitiram a derrota e passaram a recrutar GRUPOS PARALELOS para agirem em prol de seus "interesses" na Síria agindo escondidos pelos becos como bandidos...

            E não pense que eu concordo com você sobre que a política americana é tosca naquela região... eu simplesmente abomino que os EUA TENHAM uma política de intervenção qualquer seja o tipo sobre essa ou qualquer outra região... a não ser uma intervenção pela paz legítima coisa que até hoje ainda não vi nem dos EUA nem da OTAN, diferente da ação russa que apesdar de ser política visando manter Assad no poder acabou por se tornar uma ação pela paz, já que também visa colocar um basta nas cagadas feitas pelos EUA e seus capangas no país dos outros, além de ter "alvará".

  6. 10/11/2015  17:28 by Topol Responder

    Não tem como apoiar a "ixsptratéjia" dos EUA nesse conflito... nem mesmo seus tradicionais capachos estão conseguindo assimilar tamanha falta caráter.

    O que dá a entender é que eles almejam construir e manter uma zona de guerra constante na região, talvez para gerar demanda e manter a influencia através de operações de "ajuda" e demonstrações de força, assim como emplacar muitas vendas de armas e ter uma desculpa para manter os países árabes sob constante vigilância...

    Como eles não podem impor isso legalmente sem motivo, precisam que haja uma guerra constante para validar suas intenções. pilantras...

  7. 10/11/2015  16:48 by Celso Responder

    Sera q alguem aqui ja notou ou percebeu q esta confusao eh tao antiga e cheia de retrocessos nestes ultimos 1220 anos q nao tera solucao amigavel a nao ser deixar estes hermanos se matarem pra ver quem fica com os restos......se nao fosse este tal de petroleo, estes calaifados seriam somente isso mesmo, tendo em comumn so o profeta....rsrsrsrrs haveriam dezenas de paises e seus califas...nada mais.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.