Depois de mais de uma dezena de anos de atrasos diversos, as mídias do Brasil e algumas do exterior insistem que antes do final deste ano, desta vez sim, será anunciada a decisão do novo avião de combate da FAB.

Dias atrás se especulou não só com uma decisão fora da competição, com uma negociação direta com a Rússia pelo SU-35, mas com a possibilidade de que a indústria brasileira fosse convidada, assim como a turca,  pela Coreia do Sul, para participar de seu  KF-X.

Por esta razão e, talvez explorando as chances de um lift sofisticado como o T-50 (embora a Coreia seja rival da Embraer com o KT-1 contra o Super Tucano local), parecem ter ocorrido contatos exploratórios entre a KAI e algumas autoridades sobre a próxima zona franca tecnológica a estabelecer-se  em Brasília.

No entanto, tanto a Agência Reuters como o jornal Folha de São Paulo insistem que  praticamente foi decidida a chegada do Boeing F-18 E / F para o Brasil depois da aceitação pelos EUA do Super Tucano para o programa LAS.

O arquiteto dessa possibilidade, segundo a imprensa, teria sido o vice-presidente Joe Biden que, em sua recente turnê brasileira, não só tocou no tema mas, assegurou à presidente Dilma Rousseff que, baseado em sua experiência legislativa de mais de 30 anos, “provavelmente” o Congresso de seu país vai respeitar o acordo para as respectivas transferências tecnológicas oferecidas, neste caso específico pela Boeing, às autoridades locais e a indústria.

Para a Presidente do Brasil “a tecnologia é mais importante do que os caças, por todo o impulso que pode dar à indústria de defesa, Embraer incluída”. Biden tinha explicado, em Brasília, que se por um lado a maioria democrata no Congresso não seria capaz de contrariar uma decisão presidencial, não seriam os republicanos, liderados por John McCain, que o  fariam.

Na verdade, há pouco mais de um ano, o próprio McCain, um ex-piloto da Marinha, se reuniu com Dilma e outros hierarcas, defendendo o F-18. Diz-se que as respostas claras, tanto de McCain como de Biden, agradaram a Rousseff. Um fato quase simbólico alimenta a tese em favor do F-18, a primeira visita de Estado de um líder brasileiro em 20 anos aos EUA, que vai começar no dia 23 de outubro, dia do Aviador no Brasil.

De qualquer forma, com tantos anúncios, desde a preferência anterior da FAB pelo Gripen NG, a do ex-presidente Lula, quando da visita de seu colega Nicolas Sarkozy, quando anunciou a provável compra do Rafale, o que provocou uma controvérsia nos outros candidatos, estes anúncios devem permanecer hipotéticos.

FONTE: Defensa

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: Defesa Aérea & Naval

image_pdfimage_print

 

9 Comments

 

  1. 11/06/2013  0:14 by Aldenor Fernandes de Sousa Responder

    É muito importante para o Brasil adquirir o Su - 35 russo e evoluir, juntamente com a Índia no Programa do avião de 5ª geração russo o T-50. É a melhor forma de adquirir tecnologia, quando se participa de um programa conjunto; o que será impossível com os caças americanos.

  2. 10/06/2013  9:54 by Luis Claudio Ferreira Responder

    Ah... essas viuvas Russas..... o Su-35 embora seja um excelente caça, não foi classificado, no Short List Final.....

    • 10/06/2013  18:55 by Claudio Responder

      Nada impede que seja feita compra direta do Sukhoi. Aliás, o FX-2 tende a ser finalizado sem ganhador: - F-18 sem tecnologia, Gripen sem avião, Rafale muito caro.

  3. 08/06/2013  15:28 by carlos Responder

    Duvido muito que os americanos deixarão o F18 ser produzido no Brasil, tão pouco transferir tecnologia. O melhor caminho continua sendo o SU35.

  4. 08/06/2013  1:11 by Fernando Turatti Responder

    A idade do F-18E/F está errada e ainda consegue errar falando que o caça será substituído pelo F-35... O LIGHTINING IRÁ SUBSTITUIR O H O R N E T e não o SUPER HORNET. Ps: o hornet é de 1999, logo, até meu irmão que está no fundamental consegue ver o erro da matemática.

  5. 07/06/2013  22:09 by Ricardo Pinto Responder

    LoL

    Chamar F-18 de sucata eh fogo hahahaha para quem voa de F-5 ... Mesma coisa o cara Ta de Vemag e chamar um Impala 2013 de sucatas hahahaha. Senso gente... Senso.

  6. 07/06/2013  17:22 by FERNANDO Responder

    Esta insistencia em transferencia de tecnologia..... O Brasil tem como absorver estas tecnologias?Ja tem gente sonhando em se construir F 18 por aqui.Na teoria paraece tudo tão simples.

  7. 07/06/2013  17:13 by Manoel Silva Responder

    O caça F-18 já começa a ser substituído nos EUA pelo F-35,ou seja,se o Brasil vier a operar o F-18,nós estaremos comprando mais uma sucata americana a peso de ouro.E para quem não sabe,o projeto do F-18 está com mais de 35 anos; só nos resta lamentar que o governo não tenha convidado a Embraer para desenhar e fabricar nosso primeiro caça supersônico.O projeto nasceu com o nome YF-17 que voou em 09 de Junho de 1974.Confiira link:http://pt.wikipedia.org/wiki/F/A-18_Hornet.Confira mais um link:http://pt.wikipedia.org/wiki/YF-17_Cobra.

  8. 07/06/2013  17:05 by mauricio matos Responder

    O sub35 é um caça mais capaz do que o f18 se os russos souberem mover as pedras igual no jogo de xadrez que eles são mestres eles podem levar essa . O preço também conta o que vamos pagar para ter os f18 nos caça russos pagaríamos menos .

Leave a reply

 

Your email address will not be published.