O Defesa Aérea & Naval embarcou no 4º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral, para mostrar toda a versatilidade da Aviação Naval no Pantanal.

HU-4_01

Por Guilherme Wiltgen e Luiz Padilha

Bolacha HU-4Entre os dias 17 e 21 de novembro de 2014, os editores do Defesa Aérea & Naval estiveram a bordo do 4º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-4), localizado na Base Fluvial de Ladário,  Organização Militar subordinada ao comando do 6º Distrito Naval, para acompanhar a rotina deste Esquadrão Distrital. Nesta primeira parte, mostraremos um pouco da história do HU-4.

A história da Aviação Naval no Pantanal

A presença da Marinha na região Centro-Oeste remonta ao ano de 1873, quando teve início a construção do Arsenal de Marinha de Ladário, tendo a história da Aviação Naval no Pantanal iniciado nos idos de 1932, quando foi inaugurada a Base de Aviação Naval de Ladário.

Até 1936, a Marinha do Brasil operava cinco hidroaviões “Fairey-Gordon”, pertencentes à Primeira Divisão de Esclarecimento e Bombardeio.

O nascimento do “Gavião Pantaneiro”

HU-4_10

Em 1984, iniciou-se a construção do atual hangar do Esquadrão e, três anos mais tarde, foram retomadas as operações aéreas na região, com o então Destacamento Aéreo, que operou dois helicópteros UH-12 Esquilo.

HU-4_02

Instalações do Esquadrão HU-4 na Base Fluvial de Ladário-MS

HU-4_08     HU-4_09

HU-4_07

Em 16 de Maio de 1995, de acordo com a Portaria nº 0292 do então Ministro da Marinha, Almirante-de-Esquadra Mauro Cesar Rodrigues Pereira, foi criado o 4º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-4). Sua ativação deu-se em 06 de Junho de 1995, tornando-se assim uma Unidade Aérea Operativa da Marinha do Brasil.

O seu primeiro Comandante foi o Capitão-de-Corveta Roberto Pinheiro Klein Junior e o seu atual Comandante, é o Capitão-de-Corveta Alexsander Moreira dos Anjos.

HU-4_13

A partir de 29 de maio de 2004, o Esquadrão passou a operar três helicópteros Bell Jet Ranger III (IH-6B), que atingiram a marca de 4.476,7 horas de voo.

Em 23 de janeiro de 2012, o 1° Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1) iniciou o deslocamento de duas aeronaves UH-12 Esquilo, a N-7052 e a N-7053, a fim de apoiar o 6º DN e qualificar os oficiais e praças do 4° Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-4) no novo modelo de aeronave. No dia 13 de julho de 2012, o HU-4 recebeu, por transferência do Esquadrão HU-1, estas duas aeronaves. Durante este período, foram realizadas 142,5 horas de voo.

Finalmente, em 10 de janeiro de 2014, a aeronave UH-12 Esquilo N-7057 (Gavião 57), que tinha acabado de passar por uma revisão geral realizada pela Helibras em Itajubá-MG, encerrou o ciclo de substituição do modelo de aeronave no HU-4, que passou a possuir a dotação de três aeronaves UH-12 Esquilo.

HU-4_14

A Missão do Gavião

Seus meios aéreos são empregados nas tarefas de busca e salvamento (SAR), evacuação aeromédica (EVAM), esclarecimento, transporte de tropa, ligação e observação, apoio aéreo aproximado, apoio logístico móvel, reconhecimento armado, cobertura aérea, escolta e ataque aéreo.

O símbolo do Esquadrão

Gavião-pantaneiro-2

O HU-4 é conhecido na Marinha do Brasil como “Gavião Pantaneiro” e as suas aeronaves de “Gavião”, alusivo a espécie falconiforme, da família dos aciptrídeos e falconídeos. Ave dotada de visão privilegiada, soberana na região do Pantanal, ela frequenta os terrenos abertos, descampados, margens dos rios, lagoas e cerrados, onde a qualquer momento pode capturar sua presa. Por essas características, se tornou o símbolo do HU-4.

Os “Gaviões”

HU-4_01

O Gavião 53 com o Gavião 57 ao fundo.

A Marinha do Brasil foi o primeiro operador militar do helicóptero Esquilo, encomendando seis aeronaves da empresa francesa Aerospatiale (hoje Airbus Helicopters), sendo montados no Brasil pela Helibras. O primeiro, o UH-12 Esquilo N-7050, foi entregue em 18 de junho de 1979. Inicialmente, a aeronave foi enviada ao Grupo de Avaliação da Diretoria de Aeronáutica da Marinha (DAerM) e, posteriormente, com a chegada das outras cinco aeronaves (N-7051, 7052, 7053, 7054, 7055) em fevereiro de 1980, foram todos incorporados ao acervo aeronáutico do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral (HU-1), sediado na Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia.

Mais três novos helicópteros foram recebidos em 1983 (N-7056, 7057 e 7058) e possuíam algumas diferenças em relação aos anteriores, pois possuiam rádios de longo alcance, Hoist (Guincho), aquecimento interno da cabina, flutuadores e esquis mais elevados. Com o recebimentos destes últimos, os seis iniciais foram enviados à fábrica para revisão geral e para a aplicação destas modificações, ficando todos os helicópteros no mesmo padrão.

Características do HB-350B Esquilo:

HU-4-26

As aeronaves do esquadrão HU-4 estão sempre prontas para atuar a qualquer momento.

Origem:
Aerospatiale (França) e montados pela Helibras (Brasil).
Dimensões:
Diâmetro do rotor principal: 10,69 m;
Comprimento: 10,91 m;
Largura: 2,10 m;
Altura: 2,94 m;
Área do rotor principal: 280,47 m2.
Pesos:
Vazio: 1.045 kg;
Máximo na decolagem: 1.950 kg.
Motores: Uma turbina Turbomeca Arriel com 650 SHP.
Desempenho:
Velocidade máxima: 260 km/h;
Velocidade de cruzeiro 235 km/h;
Teto de serviço: 5.000 m;
Alcance máximo: 700 km.
Armamento:
Duas metralhadoras MAG 7,62 mm montadas em dois casulos axiais ou uma metralhadora MAG 7,62 mm instalada na porta lateral.
Tripulação: Piloto (1P), Copiloto (2P), Fiel e dois passageiros.

HU-4_12

Mecânico do Esquadrão HU-4 realizando inspeção no turbina Turbomeca Arriel 1B

Hoje, o HU-4 possui no seu inventário três helicópteros UH-12 Esquilo de matrículas N-7052, N-7053 e N-7057. O N-7052 (CN HB1005) e o N-7053 (CN HB1006) fazem parte do primeiro lote de Esquilos recebidos pela MB e realizaram seus primeiros voos em 14.02.1980. O N-7057 (CN HB1058), pertencente ao segundo lote, realizou seu primeiro voo em 04.01.1984.

HU-4_03     HU-4_04

HU-4_05     HU-4_06

Apesar de estarem próximos de completar 35 anos, os três helicópteros estão em perfeitas condições e são mantidos com muito esmero e profissionalismo pelo pessoal de manutenção do Esquadrão HU-4, que com seu trabalho silencioso, mantem nossos pilotos voando em segurança sobre o Pantanal, proporcionando a Marinha do Brasil cumprir com a sua missão na Região, em prol da população ribeirinha e da defesa do território nacional.

HU-4_11

Gavião 53 voando sobre o Rio Paraguai.

Esquadrão HU-4: “Asas da Marinha no Pantanal”

NOTA do EDITOR: Agradecemos ao Contra-Almirante Edervaldo Teixeira de Abreu Filho (Comandante do 6º Distrito Naval) e ao Capitão-de-Fragata Rudicley Cantarin (Chefe do Estado-Maior do 6º DN) pela receptividade e apoio irrestrito para a realização desta matéria. Agradecemos também aos Oficiais e Praças do 6º DN que não pouparam esforços em colaborar com o Defesa Aérea & Naval. BRAVO ZULU!