Novos radar e sistema eletrônico ampliam capacidade da patrulha marítima do P-95 Bandeirulha, que é empregado no monitoramento e vigilância do mar territorial brasileiro.

P-95_02

A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu, na terça-feira (15/09), o primeiro P-95 Bandeirante Patrulha (Bandeirulha) modernizado. A aeronave, com matrícula FAB7103, será empregada pelo Esquadrão Phoenix (2º/7º GAV), localizado em Florianópolis (SC). No total, a FAB terá oito unidades modernizadas.

O processo de modernização, realizado no Parque de Material Aeronáutico dos Afonsos (PAMA-AF), ampliou a capacidade operacional do avião empregado na patrulha marítima.

O P-95M, sua nova denominação, conta com o radar Seaspray 5000E e tem condições de detectar navios de grande porte a até 370 quilômetros de distância. Semelhante ao instalado na aeronave P-3 Orion, o novo radar também permite registrar imagens de alta resolução durante a varredura.

“Sobrevoando a Ilha de Florianópolis conseguimos visualizar pelo radar embarcações no porto de Paranaguá”, compara o Comandante do Esquadrão Phoenix, Tenente-Coronel Pierre Gonçalves Bastos, sobre uma das possibilidades de imageamento do novo equipamento.

Agora os aviões conseguem acompanhar até 200 alvos simultaneamente, realizar mapeamento de terrenos e detectar aeronaves, entre outras funcionalidades. Os novos sistemas de navegação oferecem maior precisão, o que é fundamental para uma aeronave que voa sobre o mar, sem referências visuais. Os sistemas de comunicação também foram substituídos.

P-95_01

O painel da cabine materializa as novidades em relação aos sistemas eletrônicos. A suíte aviônica integrada facilita a ergonomia e a consciência situacional do piloto, reduzindo a fadiga durante do voo. A interface digital também permite a visualização das informações, provenientes de diversos sistemas embarcados, de maneira mais simples e amigável.

“O novo P-95 reafirma a projeção de ponta dessa aviação, que está na vanguarda da patrulha marítima na América do Sul”, avalia o comandante da Segunda Força Aérea (FAE II), Brigadeiro do Ar Roberto Ferreira Pitrez.

As aeronaves devem ser operadas pelos esquadrões Phoenix (2º/7°GAV) e Netuno (3º/7°GAV), sediados em Florianópolis (SC) e Belém (PA), respectivamente. Ao lado dos P-3AM do Esquadrão Orungan, que opera a partir de Salvador (BA), os P-95 são responsáveis pelo monitoramento e vigilância da área econômica exclusiva e, por meio de tratados internacionais, também da área de plataforma continental brasileira. As informações coletadas ajudam no combate à pesca ilegal, pirataria e crimes ambientais, entre outros.

As aeronaves também são empregadas em missões de busca e salvamento no continente e no mar territorial e, também, em águas internacionais e profundas, onde o Brasil é responsável por uma área que corresponde a 10 milhões de km2.

P-95_03

Voos de ensaio – O primeiro P-95M voou no dia 18 de dezembro de 2013. Desde então, realizou voos de ensaio, com a participação de militares do Esquadrão Phoenix e do Instituto de Pesquisa e Ensaios em Voo (IPEV). A campanha de testes teve como objetivo analisar o desempenho de todos os sistemas da aeronave. Outras aeronaves já estão no PAMA-AF para a implantação dos sistemas.

O projeto de modernização, que também inclui 42 aeronaves C-95 Bandeirante, envolve ainda a revitalização estrutural das aeronaves recebidas na década de 70.

 

13 Comments

 

  1. 01/11/2015  12:49 by Marco Responder

    Alguém daqueles 2 Bandeirulhas alugados a Argentina nas Malvinas? Esses agora ja tem ECM? Os Argies improvisaram um analisador de espectro para localizar os radares ingleses sem emitir. Os Bandeirulhas fizeram diversas missões de combate e nunca foram interceptados, eles tinham mais alcance que os Trackers faziam missões no aque foram chamadas de rotas Sul e Norte das Malvinas chegando perto da frota, atrativa era navegar colado ao mar e a cada 50 milhas fazer um Pop Up, duas ou três varreduras seguida de rápido mergulho para novo voo rasante com nova proa par outro Pop Up daqui a 50milhas, as manobras arrojadas impediam aos Ingleses plotar a posição do esclarecedor e preverem sua futura posição, contaram em uma matéria antiga que certa vez, em evasiva, que chegaran a estar dentro das nuvens com os Harries em seu encalço, a ARA não conta muito sobre o Badeirulha, o Tracker era melhor equipado e apesar de muito antigo muito popular entre suas tripulações, dizem os Bandeirulhas chegaram com fissuras nas asas pela severidade das manobras. Alguém teria o paradeiro destes guerreiros?

  2. 22/09/2015  16:15 by Nelson Lima Responder

    Espero que o P95M com seu radar AESA possa lançar algum armamento guiado!

  3. 20/09/2015  16:42 by Proud Responder

    Esta anv lança sonoboias?

  4. 20/09/2015  2:32 by Hermes Responder

    Alguém sabe por que não foi instalado FLIR? Existe ao menos previsão para isso?

  5. 19/09/2015  17:46 by Celso Responder

    Tomara q esta modernizacao apresentada nesta foto seja realmente a deste aparelho.....as q vi ate agora nos bandera parecem verdadeiras ganbiarras na sua apresentacao....enfim.....ainda faltam mais de 45 apos mais de 6 anos q este processo se inicou.....vergonhosa esta situacao.

  6. 19/09/2015  15:44 by Guilherme Wiltgen Responder

    Perfeita a sua colocação Leopoldo! Eu também compartilho deste mesmo pensamento.
    Abs

  7. 19/09/2015  15:14 by Leopoldo Duarte Responder

    Seria ótimo um projeto para EMB-195 para patrulhamento oceânico igual o Poseidon da Marinha Americana e até mesmo para vigilância aérea.

    • 19/09/2015  20:14 by marcio Responder

      Também compartilho desse pensamento Leopoldo, a Embraer poderia perfeitamente suprir a FAB com duas plataformas modernas no caso o binômio P-99/P-195 e certamente a Embraer teria sucesso de venda desses aviões no mercado internacional de avões de patrulha marítima.

    • 19/09/2015  22:18 by Rodrigo Coelho Responder

      Do ERJ 145 saiu o P99 usado pelo México

    • 19/09/2015  22:34 by Bardini Responder

      Um P-195 seria muito bem-vindo a FAB ou MB... E com a parceria entre Embraer e SAAB é só questão de gerar a demanda que ela provavelmente venha a ser atendida.

      Agora o que eu penso é: Por que não um P-390? Já que querem rivalizar com o Hércules... vão ter que pensar em algo do tipo, haja visto que existe o projeto do Sea Hércules. Ou vão ficar só com a versão de carga?

  8. 19/09/2015  13:55 by marcio Responder

    Seria interessante se essa modernização desse mais garras aos P-95M, como por exemplo lançar mísseis anti-navios de curto alcance como por exemplo o kongsberg Penguin que serão usados pelos Seahawk da MB.

  9. 19/09/2015  12:08 by dilson queiroz Responder

    .............seria bom que modernizassem todos os Bandeirulhas e os A-4 que restam.....mas a pindaíba tornou-se crônica......deplorável......

  10. 19/09/2015  11:55 by Elcio Responder

    Bons ventos força Brasil assim ta ate para acreditar no pais

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.