O fantasma de uma guerra preventiva com a Coreia do Norte fica mais próximo cada vez que Pyongyang testa um míssil ou uma bomba nuclear, afirmou neste domingo o senador americano Lindsey Graham. “Se houver um teste nuclear subterrâneo, será necessário se preparar para uma resposta muito séria dos Estados Unidos”, alertou o congressista republicano à rede CBS.

As palavras de Graham chegam após as pronunciadas na véspera pelo assessor de segurança nacional de Donald Trump, o general HR McMaster, que declarou durante um colóquio sobre defesa que a probabilidade de uma guerra com a Coreia do Norte “aumenta a cada dia”.

Pyongyang lançou na semana passada um míssil balístico intercontinental a uma altura e uma distância nunca antes alcançadas por um artefato norte-coreano. A sofisticação do novo tipo de míssil chamou a atenção dos especialistas, embora, segundo fontes da CNN, a cabeça teria se desintegrado ao reingressar na atmosfera.

Segundo o secretário de Defesa americano, Jim Mattis, todo o território americano está agora ao alcance de Pyongyang. Os Estados Unidos e o Japão tentaram imediatamente endurecer o regime de sanções da ONU contra a Coreia do Norte, mas Moscou e Pequim se negaram.

Lindsey Graham indicou que tinha discutido o tema detalhadamente com o governo de Trump, que, segundo ele, tem a estratégia de “impedir que a Coreia do Norte adquira a capacidade de atacar os Estados Unidos com um míssil com cabeça nuclear, não só de controlá-la”. “Impedir isso que dizer, em última instância, uma guerra preventiva. Essa prevenção se torna cada vez mais provável à medida que sua tecnologia melhora. Cada teste de míssil, cada teste subterrâneo de uma arma nuclear quer dizer que a união (de um míssil com uma cabeça nuclear) é mais provável”, acrescentou o senador.

FONTE: AFP
FOTO: Ilustrativa

image_pdfimage_print

 

7 Comments

 

  1. 06/12/2017  10:02 by jose luiz esposito Responder

    A Rússia enfrenta as Adversidades , já o Tiozinho sempre gostou de Moleza , OSSO DURO Correm ,reparem que sempre gostam de atacar em Bando usando seus CAPACHOS , que chamam de ALIADOS !!
    Eu peço a Deus que em qualquer ação destes Desgraçados , se arrebentem todo , levando a Desgraça os seus Capachos que que caírem na Asneira de o apoiar., É Claro e Evidente que o Gordinho não tem intenções de agredir a ninguem , mas isso é insuportável para o Tiozinho , que ainda não entendeu que o seu Tempo È FINITO , seu Trem chegou na Central , somente os Governos brasileiros continuam Agarrados ao seu Saco, com a queda do Tiozinho , teremos que Acordar ,e nossas Castas de Vagabundos pararem de Roubar e Pensarem no País , o TREM do Tiozinho chegou na Central !!

  2. 05/12/2017  15:22 by Rodolfo Responder

    Sapi, em algum momento disse que os americanos perderam a guerra das Coreias?
    Para que fique mais claro, apensa disse que não a venceram, como gostariam de ter vencido.
    Apenas para informar, inocente é aquele que acha que China deixaria a guerra rolar sem fazer nada, atacou porque se sentiu no direito (se era de fato direito, não nos cabe), imaginando que Seul chama seu amigo mais poderoso para ir a guerra com eles, achando que Pyongyang não faria o mesmo com China ou até mesmo a Rússia.
    A CN gostaria de unificação das Coreias, e isso não é segredo para ninguém, porém, o Sul não a deseja, o que forçaria uma guerra entre ambas as partes.
    A guerra só não estourou porque os americanos estão marcando presença, o que está adiando o possível conflito, Pyongyang sabe que uma guerra dessa magnitude será extremamente prejudicial para eles, mas estão com uma leve vantagem, talvez a melhor delas, a vantagem do terreno, o que importuna de mais os americanos, que estão a milhares de km de distância, dificultando sua logística e colocando seus navios de ataques na mira das armas norte coreanas, os aliados que servem de ponto de apoio, também encontram-se sobre a alça de mira inimiga, ou seja, a vantagem tende para o lado norte coreano.
    Guerras hoje em dia não são mais como jogos de xadrez, são muito mais complexas, guerras como a Segunda, não mais existirão, hoje elas são diferentes e a modernidade das armas, fariam qualquer soldado pensar se seria uma boa ideia ou não invadir determinada região.
    Enfim, poderia citar várias observações a respeito, mas no fundo todos nós sabemos, que se ela eclodir, acho bom nos prepararmos.

  3. 05/12/2017  10:33 by Sapi Responder

    Rodolfo, só gostaria de informar: 1_ Que os EUA não perderam a guerra da Coréia. Até porque a guerra não acabou. 2_ Os EUA tomaram praticamente toda a península coreana em tempo recorde, em resposta a agressão norte coreana. 3_ A CN não tem mérito ninguém de ainda existir, os EUA teriam tirado a CN do mapa, com uma facilidade jamais vista, se a China não chegasse com um ataque surpresa e covarde(a China nem na guerra estava). 4_ E dizer que CN não quer guerra com ninguém é o mesmo que dizer que o Irã quer viver em harmonia com Israel. O sonho da CN é marchar com seus exércitos em Seul, isso já está claro para todos a muito tempo.

  4. 04/12/2017  21:43 by Gil Responder

    USA só chuta cachorro morto, se decide agredir a CN a unica parte bonita disso, seria a de imaginar que esse crimem não ficaria sem castigo.

    Eu posso imaginar uma CN destruida, mais tambem Seul, Tokio, Los Angeles, Chicago, Whashington, etc...
    indo pelo mesmo caminho.

  5. 04/12/2017  17:05 by Alex Rocha Responder

    Amigos no meu ponto de vista isso é muito relativo. A questão aqui não é somente a fabricação das armas, mas sim qual o papel que a mesma desenvolverá na relação deste pais com os outros. Acho válida a questão dos EUA se contraporem ao regime da CN, até por que estas armas não estão nas mãos de uma pessoa que tenha uma capacidade mental e pisicológica para possui-las, é a mesma coisa de dar um 38 para uma criança, ele não sabe o que têm nas mãos e o tamanho do estrago que pode causar. O fato da CN ser a testa de ferro da China na região pode trazer uma desestabilização no local. O que estamos falando aqui não é só questão de CN e EUA mas sim da possibilidade de se começar a 3ª guerra mundial com muitos atores no senário.

  6. 04/12/2017  15:03 by Rodolfo Responder

    Eu sou tendencioso, amigo?
    Basta observar, desde sempre os americanos não são ameaçados, mesmo na guerra fria, onde existia uma ameaça real de ataque iminente, a CN não quer guerra com ninguém, estão no direito deles de testar seus armamentos assim como qualquer país do mundo os tem, infelizmente as explosões nucleares são lamentáveis e sou de total acordo que todo o mundo as deixem de ter, mas enquanto um único país a possuir, todos estão no seus devidos direitos de as terem.
    Assim como o Sr. Putin não passou o trator na Ucrânia, também não iria passar na CN, a CN do norte tem um povo muito aguerrido e com todo o potencial americano na época da guerra das Coréias não conseguiu vencer, não é agora que conseguirá, visto que a quantidade de países que se envolverão nesse conflito será monstruoso, será como uma avalanche, um país puxará o outro.
    Mas, acredito que esse conflito, por mais tenso que pareça, não sairá e os americanos terão que engolir mais um país no seleto grupo de países que detém, além da bomba nuclear, um meio de poder lança-la e atingir qualquer parte do globo.

  7. 04/12/2017  11:52 by EBS Responder

    Poxa vida amigo, deixa de ser tendencioso. Eu acho que os EUA são é tolerantes de mais.... Se fosse com a Rússia o Putin já tinha passado o trator na CN faz tempo...

  8. 04/12/2017  11:02 by Rodolfo Responder

    Fica cada vez mas evidente que o governo americano atua como um animal, que quando acuado, age por puro instinto, aonde a racionalidade não existe e partem para agressão bélica.
    Enquanto ninguém, nos últimos anos não representavam perigo algum para o solo americano, os mesmos atuaram como queriam, em qualquer parte do globo, agora que se sentem ameaçados, pelo mesmo valor com que ameaçavam seus inimigos, criam a impressão de vítimas, devida tantas atrocidades praticadas pelo seus últimos governantes. É realmente uma pena, que no mundo de hoje, vale mais o poder das armas, do que uma política séria de recuperação do mundo.
    Para quem entende, a CN quer apenas dialogar, sentar-se as mesas de qualquer país, porque alguns países possuem ogivas nucleares, lançadores de mísseis intercontinentais e isso nunca foi um problema ou mesmo uma histeria, como esta sendo agora.
    Para os leigos, a CN quer apenas conversar, como os EUA normalmente conversa, com a força das armas.

  9. 04/12/2017  10:53 by jose luiz esposito Responder

    O que mata o Tiozinho de Ódio e não poder dobrar a CN e o Gordinho , KKKK , Coitado do Tiozinho, o mundo todo contra o Diabo , mas aqui os nossos Políticos, Militares e demais Colonizados devem estar Tristes ,em breve terão que procurara a outro para se agarrem ao saco !

Leave a reply

 

Your email address will not be published.