USCGC Midgett

A divisão de construção naval Ingalls Industries da Huntington Ingalls recebeu um contrato de US $ 94 milhões da Guarda Costeira dos EUA para construção do 10º National Security Cutter (NSC). “Os Cutters continuam a ser ativos extremamente importantes para a defesa costeira de nossa terra natal”, disse o presidente da Ingalls Shipbuilding, Brian Cuccias. “Esses navios estão permitindo que as missões da Guarda Costeira não apenas defendam nossas costas, mas também atuem na detecção e interdição de drogas e outros contrabandos”.



Nossos construtores navais no Mississippi esperam continuar com esta linha de produção aquecida, produzindo Cutters adicionais de alta qualidade para os homens e mulheres da Guarda Costeira. “Os fundos de aquisição antecipada serão usados ​​para comprar os principais componentes do NSC 10, como o aço, os principais sistemas de propulsão, geradores, quadros elétricos principais.

O Ingalls entregou seis NSCs, o carro-chefe da frota da Guarda Costeira, projetado para substituir os 12 Cutters da classe Hamilton que entraram em operação nos anos 60. O sétimo NSC da Ingalls, Kimball (WMSL 756), está programado para ser entregue à Guarda Costeira ainda este ano. O Midgett (WMSL 757), está programado para iniciar os testes de mar no quarto trimestre, e a Stone (WMSL 758) está programado para ser lançada neste verão.

Os NSCs têm 418 pés de comprimento e deslocam 4.500 toneladas com carga total. Eles têm uma velocidade máxima de 28 nós, um alcance de 12.000 milhas, uma autonomia de 60 dias e uma tripulação de 120 marinheiros. O NSC da classe Legend é capaz de atender todas as necessidades de missão de segurança marítima exigidas de um Cutter de alta resistência. O navio inclui uma área de lançamento e recuperação na popa para duas lanchas infláveis ​​de casco rígido e uma cabine de pilotagem para controlar uma variedade de aeronaves de asa rotativa tripuladas e não tripuladas.

É a maior e mais tecnologicamente avançada classe de Cutter da Guarda Costeira dos EUA, com capacidades robustas para segurança interna marítima, aplicação da lei, segurança marítima, proteção ambiental e missões de defesa nacional. Essa classe de navios desempenha um papel importante no aprimoramento da capacidade operacional, capacidade e eficácia da Guarda Costeira em um momento em que a demanda por seus serviços nunca foi tão grande. A Huntington Ingalls Industries é a maior empresa de construção naval militar da América e fornecedora de serviços profissionais para parceiros do governo e da indústria. Por mais de um século, as divisões de construção naval de Newport News e Ingalls da HII na Virgínia e Mississippi construíram mais navios em mais classes de navios do que qualquer outro construtor naval dos EUA.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN

FONTE:  Huntington Ingalls Industries



 

4 Comments

 

  1. 13/04/2018  20:32 by Esteves Responder

    Pois é. Outro conceito de marinha e de marinha de guerra.

    Vou reler tudo. Acho que a MB se contaminou com o que se entendia como marinha de guerra em anos passados. Bem passados. Não dá pra competir com o império. Nem dá pra chegar perto. Patrulha de 700 milhões de uma única classe...que poder!

    Bem...não entendo nada. Dou palpites pra gerar polêmica. Polêmica vira debate. Debate vira aula. Penso que se existem duas escolas de marinha de guerra (americana e europeia) e construções navais conforme a missão dada para o vaso, vamos ser engabelados pelos europeus e seus patrulhas que viram destróieres. É só esticar.

    Não dá pra rever tudo e conversar com os americanos?

  2. 13/04/2018  20:02 by Dalton Responder

    De vez em quando o "patinho feio" das forças armadas americanas , a Guarda Costeira, recebe atenção...no início seriam
    encomendados apenas 8 navios dessa classe.
    .
    A Guarda Costeira deve em tempos de guerra ser capaz de reforçar a US Navy , como já ocorreu no passado então eventualmente
    suas maiores unidades participam de exercícios e já foram adicionados a Grupos Anfíbios em missões no exterior.
    .
    Mais de 700 milhões a unidade !

  3. 13/04/2018  19:44 by Esteves Responder

    4.500 toneladas a 28 km com 120 marinheiros a bordo. Se isso é um patrulha terei que reler tudo que li aqui.

    94 milhoes de dólares antecipados. Imagino que deva ser um navio de uns 400 milhões. Dai pra mais.

    A MB não quer Guarda Costeira. Quer ser marinha de guerra. Quer corvetas e fragatas para combater. Combater o que e quem não imagino. As Tamandaré não chegam a essa tonelagem. Também não chegam a esse preço. Parece que a MB pensa entre 350 e 370 milhoes de dólares.

    Quando vejo um patrulha desse porte fico em duvida se entendo o que leio ou se esses europeus querem enganar a gente vendendo vaso que puxa e estica.

    Também fico um dúvida se os conceitos da MB fazem mesmo sentido.

    • 13/04/2018  19:46 by Esteves Responder

      Kn, não km.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.