Por Luiz Padilha

O Defesa Aérea & Naval – DAN, foi convidado para participar do Media Flight da aeronave Sikorsky M28 que se encontra no Brasil para uma série de demonstrações. A aeronave chegou ao país por Manaus, seguindo para Brasília e se encontra no Rio de Janeiro, onde a Sikorsky participa da feira de defesa e segurança LAAD 2017.

       

A mídia foi recebida por representantes da empresa na sala VIP da Lider no aeroporto de Jacarepaguá, onde recebemos um briefing sobre o Latin America Demo Tour do M28.

Na sequência nos dirigimos até a aeronave onde fomos recebidos pelo comandante Czeslaw Zywocki e seu co- piloto Lukasz Lal, que segundo o comandante Zywocki, foi quem pilotou o M28 durante a travessia do Atlântico.

O comandante Zywocki apresentou a aeronave detalhadamente aos jornalistas e convidou a quem quisesse a sentar no lugar do co-piloto para explicar o funcionamento dos instrumentos e tirar qualquer dúvida pendente.

Comandante Czeslaw Zywocki

Após todos estarem satisfeitos, o co-piloto assumiu seu lugar e foram iniciados os procedimentos para a decolagem.

O M28 foi construído na Polônia pela PZL Mielec, uma empresa Sikorsky, como uma aeronave multi-emprego de asa alta para pousos e decolagens curtos em pistas preparadas e não preparadas. O M28 possui um robusto trem de pouso, que por ser fixo, reduz bastante a necessidade de manutenção.

O M28 tem uma porta de carga traseira que se abre em 2 partes, conferindo à aeronave uma enorme capacidade de combinações entre carga e passageiros, além de um pod de carga no ventre da aeronave. No total, o M28 pode levar até 2.300 kg de carga útil, uma capacidade nada desprezível para uma aeronave de seu porte.

       

Isso tudo é possível graças aos seus dois motores PT6A-65B da Pratt & Whitney, de 1.100 shp cada, que conferem ao M28, potência e confiabilidade, além de ser um dos mais econômicos do mercado. Os motores PT6 da P&W são muito utilizados no Brasil, como por exemplo, nos Tucanos e Bandeirantes produzidos pela Embraer.

       

O Exército Brasileiro pretende utilizar aeronaves de asa fixa para dar o suporte necessário aos pelotões de fronteira, principalmente na região Amazônica, e tem observado algumas opções para realizar este tipo de missão. O M28 foi apresentado ao Exército Brasileiro e voou na região Amazônica, realizando todas as missões que o EB pretende que a aeronave à ser escolhida, venha a fazer sem restrições. O M28 transportou soldados, carga, lançou cargas e paraquedistas durante o tempo em que voou para mostrar suas qualidades ao pessoal da Aviação do Exército. cabe salientar que a aeronave pode transportar as pás das aeronaves de asa rotativa do EB.

Na imagem acima é possível ver um dos pontos fortes do M28. Esse dispositivo possibilita ao operador da aeronave içar a carga até 500 kg manualmente e a mesma ser colocada em seu interior rapidamente. Para os operadores de regiões que não possuam suporte em terra, é um grande diferencial que reduz bastante o tempo para carregar e descarregar a carga. O M28 também possui 2 janelas bolha, próprias para a realização de voos de busca e salvamento.

Voltando ao nosso voo de demonstração, o comandante Czeslaw Zywocki após um rápido taxi, efetuou uma decolagem curtíssima, utilizando apenas 300 metros da pista do aeroporto de Jacarepaguá. O voo durou aproximadamente 25 minutos e a aeronave além de silenciosa, quando comparada com outras similares, é super estável, tanto que a bonequinha havaina presa acima do painel do co-piloto, não dançou nenhuma vez.

       

Um dos pontos fortes do M28 para os mercados civil e militar é o seu pós-venda. A empresa possui um centro de Atendimento ao Cliente funcionando 24 horas, possibilitando ao operador encaminhar seu pedido de assistência e ter a solução o mais rápido possível, afim de manter o nível alto de disponibilidade da aeronave.

       

No caminho para o pouso no aeroporto de Jacarepaguá, o M28 veio para a aproximação final utilizando uma de suas excelentes características, a baixa velocidade de stall (65 kts), tocando no solo a 90 kts, num pouso extremamente suave e curto, seguindo para a posição reservada e com o corte de motores sendo executado rapidamente. Sem dúvida, uma experiência positiva que deixa a certeza de que, se a aeronave escolhida pelo Exército Brasileiro for o M28, a Aviação do Exército estará muito bem atendida.

       

Da esquerda para a direita, Luiz Padilha Editor do DAN, co- piloto Lukasz Lal e o comandante Czeslaw Zywocki

Características da aeronave

  • Peso bruto Max: 7.500 kg
  • Peso vazio: 4.354 kg
  • Carga útil: 2.300 kg
  • Carga máxima de combustível: 2.278 l
  • Velocidade máxima: 192 kts
  • Velocidade de stall: 65 kts
  • Velocidade de cruzeiro: 132 kts
  • Distância de decolagem:548 m
  • Distância de pouso: 499 m
  • Teto de serviço: 25.000 pés
  • Alcance Máximo 1.592 km

 

7 Comments

 

  1. 17/04/2017  14:15 by Bruno Responder

    Acredito que essa seja a melhor aeronave para o EB.

  2. 08/04/2017  22:29 by Satyricon Responder

    Ao meu ver, é o principal candidato para o EB. O sherpa é um grande concorrente, principalmente pela capacidade , mas deixou de ser fabricado em 1990, ou seja, a quase 27 anos. Sua cadeia logística é, na melhor das hipóteses, uma grande incógnita. O M28, ao contrário, está em produção, e deve continuar assim por muitos anos. Sua manutenção é garantida pela sikosky, hoje parte da gigante Lockheed Martin. Logo, nesse quesito, não há como comparar um com o outro.
    O twin otter é outro grande concorrente pelas suas características STOL, mas não tem a versatilidade do M28, com suas portas traseiras, etc. As fotos falam por si mesmo.
    A USAF tem vários à disposição, recentemente retirados do serviço. São excelentes aquisições.

  3. 08/04/2017  20:43 by Luiz Gabriel Garcia Responder

    Não sei o porque não pegar um avião nacional e transforma-lo para nossas necessidades!

  4. 08/04/2017  18:10 by Erikson Responder

    Dos concorrentes, também achei a melhor, tb são novos. Agora fico pensando, porque a embraer não transfere pra sua subsidiária Neiva, a tarefa de desenvolver aeronaves para o mercado a hélice? Pois mercado mundial pra essa categoria tem!

  5. 08/04/2017  17:09 by Wellington Góes Responder

    Esta aeronave seria muito útil não só ao EB, como todas as empresas que necessitam substituir os Bandeirantes em operação na aviação regional de passageiros, inclusive à própria FAB.

  6. 08/04/2017  16:08 by Adriano silva Responder

    Melhor o avião americano Sherpa usado pelo exército americano.

  7. 08/04/2017  15:38 by Celso Responder

    Uauuuuuuuuuuuuuu........fortissimo mesmo como candidato.........vamos torcer, afinal chega de coisas velhas.....rsrsrsr valeu pela reportagem Padilha.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.