Por Christine Kim

SEUL (Reuters) – O presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, disse nesta quarta-feira que existe uma “alta possibilidade” de um conflito com a Coreia do Norte, que está levando adiante programas de mísseis e nuclear que diz serem necessários para se contrapor a uma agressão dos Estados Unidos.

Os comentários vieram horas depois de a Coreia do Sul, que abriga 28.500 soldados norte-americanos, dizer que deseja abrir um canal de diálogo com o vizinho do norte. Moon visa uma política dupla, envolvendo sanções e diálogo, para tentar conter os norte-coreanos.

A Coreia do Norte não faz segredo do fato de que está desenvolvendo uma míssil de capacidade nuclear que seja capaz de atingir o território continental dos EUA, e vem ignorando os pedidos para que interrompa seus programas de mísseis e nuclear — até da China, sua única grande aliada.

Pyongyang realizou seu lançamento de míssil balístico mais recente no domingo, desafiando o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), e disse ter se tratado de um teste de sua capacidade para transportar “uma ogiva nuclear pesada e grande”, provocando críticas do Conselho de Segurança.

“A realidade é que existe uma alta possibilidade de um conflito militar na NLL (Linha de Limite do Norte, na sigla em inglês) e na linha de demarcação militar”, disse Moon, segundo a Casa Azul, a residência presidencial sul-coreana.

Ele também disse que os recursos nucleares e de mísseis do Norte parecem ter progredido rápido recentemente, mas que o Sul está pronto e capacitado para reagir caso o Norte ataque.

Moon venceu a eleição presidencial na semana passada com uma abordagem mais moderada em relação ao vizinho recluso e disse, depois de tomar posse, que quer buscar o diálogo, assim como a pressão.

Mas ele ainda afirmou que o Norte precisa mudar sua atitude de insistir em levar adiante seu desenvolvimento de armas antes de um diálogo ser possível.

O porta-voz do Ministério da Unificação sul-coreano, Lee Duk-haeng, disse a repórteres que a postura mais básica do governo é que as linhas de comunicação entre as Coreias deveriam ser reabertas.

“O Ministério da Unificação estudou opções a este respeito internamente, mas nada foi decidido ainda”, afirmou Lee.

FONTE: Reuters

image_pdfimage_print

 

13 Comments

 

  1. 17/05/2017  11:22 by FERNANDO

    Se preparem, até 2019 ocorre uma Guerra em grande escala no nosso mundo.

    Nesta Guerra estarão todas as grandes potências. Não passa de 2019. Podem acreditar

  2. 18/05/2017  0:55 by Gilbert

    Se o Trump (Presidente dos EUA) quiser mesmo fazer pressão manda 50.000 soldados, alguns esquadrões e uma frota com uns 4 NAe para a região e avisa que está tomando providências se dispararem mais algum míssil e se isso ocorrer derruba ele em águas internacionais. Será que o Presidente Norte Coreano a partir daí não vai passar a usar fraldas???

  3. 18/05/2017  8:52 by Renan

    Porque o direito de uma nação de alcançar meios bélicos para dissuasão, gera tanta revolta? Quando os EUA e URRS testou seus mísseis, bombas nucleares e várias outras químicas biológicas, e até mesmo climáticas.
    Alguém foi la e mandou parar?
    Direitos iguais apenas isto.
    Não que possamos tudo mas a limites.

  4. 18/05/2017  11:02 by Dalton

    Renan...
    .
    você consegue imaginar algum país interessado em invadir a Coreia do Norte por conta de suas riquezas...ou...precisar defender seus interesses e/ou aliados mundo afora...ou estar em algum tipo de corrida ideológica com outro país...coisas que claramente foram vistas na chamada Guerra Fria entre EUA e URSS ?
    .
    Obviamente que não. A Coreia do Norte precisa tanto de armas atômicas como eu preciso de um helicóptero de passeio...o que a Coreia do Norte quer com grande sacrifício da própria população é chantagem internacional , para entre outras coisas a perpetuação de uma ditadura desumana.

  5. 18/05/2017  23:40 by Renan

    Dalton
    Respeito seu ponto de vista, sim cruel o regime. Mas sanções imposta não agravá mais ainda as condições do povo daquele país?
    O EUA ja invadiram vários países com a mesma Desculpas e depois os abandonou em guerras civil e em citações crítica.
    Não é justo intervir na soberania de um pais e simplesmente joga-lo as trevas das restrições
    De 1798 até hoje já invadiram 149 países e mais de 230 conflitos militares, causando a morte de 8 milhões de pessoas.
    Isto não é e não deve ser considerado legítimo.
    Moro em um país que o povo não tem a cultura de se pensar em defesa, devido a irresponsabilidade dos mais esclarecidos em apenas penssar no seu próprio futuro.
    Não se importando com a ignorância alheia
    Mais um dia seremos o próxima ae será tarde.
    Hoje vejo as fragilidade de vários países não como um fato isolado, mas sim como algo orquestrado, como se fosse uma guerra invisível onde convem eleger um ou outro presidênte e quando não compera, cai rápido. Um motivo de orgulho nacional para distrair as opiniões pública e mas uma rasteira no desenvolvimento tecnológico e social.
    Me parece algo grande.
    Muito grande. UMA PRIMAVERA ARABE, que nada marionetes sendo trocadas.
    Um dia seremos o proximo pais a ser tomado, honrado os heróis que entregaram a vida num combate de alguns dias.
    Não antes de sanções, crises políticas e econômicas.
    É questão de tempo
    Mas visto as condições dos nossos vizinhos seremos os 200, ou 210
    É só esperar
    Abraços Desculpas não quero ofender nem provocar é apenas o ponto de vista
    Abraços

  6. 19/05/2017  10:03 by Flanker

    Renan, respeito seu ponto de vista e sei obviamente que não existe nenhum país santo ou inocente, principamente as grandes potências. Mas, isso que você escreveu sobre uma coisa grande e orquestrada é uma teoria que ganhou força à partir da Lava-Jato, da operação Carne Fraca, etc. Tudo que está sendo divulgado nessas operações, e ainda um pouco antes, no mensalão, é o que está provocando toda essa crise política, institucional e econômica no país. Mas é algo que tem que acontecer, doa a quem doer, para podermos depurar um pouco toda essa sujeira que está aí. E de tudo que aparece, escândalo após escândalo, envolve brasileiros (políticos, lobistas e empresários). Tudo é documentado, gravado, filmado e testemunhado. Onde isso pode ser intervenção dos EUA ou de outro país? Nossa situação é gravíssima, e isso é culpa dos brasileiros e de ninguém mais.

  7. 19/05/2017  10:23 by Dalton

    Renan...
    .
    de maneira nenhuma sinto-me ofendido, pelo contrário, é sempre bom debater com pessoas educadas e sem pretender fazer você mudar de ideia, faço algumas considerações:.
    .
    Sua lista de países "invadidos" por eles é um tanto exagerada, provavelmente inclusos estão pequenas intervenções e mesmo as guerras contra as nações índias, mas, veja, como alguém interessado em guerras índias do oeste americano posso afirmar que não havia outro meio, o país estava em crise após o fim da guerra civil, grande número de imigrantes chegando, pobreza, etc os índios estavam no caminho do progresso e e sim, excessos foram cometidos, aliás por ambos os lados e o mesmo vale para outras nações no tratamento de seus nativos, a ex Presidente argentina Cristina Kirschner por exemplo tinha ideia de excluir
    da História deles o que foi feito aos nativos.
    .
    Uma coisa que não é considerada no seu pensamento é...quantas vidas foram salvas pelos EUA ? Quantos conflitos foram
    evitados ou encurtados pela presença americana. Fizeram e fazem muita coisa boa também como o socorro ao Haiti após o terremoto...ou você acha que alguma outra nação no mundo poderia ter os meios e a vontade para fazer...e tudo começou com a chegada de alguns despojados aviadores no Aeroporto da capital haitiana |às escuras sem saber o que esperar.
    .
    Não vejo os EUA como nossos inimigos e se não os vejo como "os melhores" certamente os vejo como " menos piores" e não
    perco meu sono tendo pesadelos com uma invasão ao nordeste brasileiro no estilo "Normandia" ou "Okinawa".
    .
    Quanto à Coreia do Norte, foi a própria que invadiu a Coreia do Sul em 1950 e não fosse pelos EUA, a Coreia do Sul não existiria
    experimente perguntar a um sul coreano o que ele pensa a respeito...eu já tive essa oportunidade de perguntar.
    .
    Também não concordo que sejamos um país sem cultura de se pensar em defesa...se houvesse um inimigo em potencial e
    nada fosse feito aí sim...é o caso do Chile que tem como vizinho o Peru e a Bolívia e portanto não pode se descuidar, mas, nenhum dos nossos vizinhos pode sonhar em uma guerra nem de curta duração com o Brasil, o grande tamanho territorial e populacional já são meios de dissuasão.
    .
    Como justificar grandes despesas militares aos milhões de homens e mulheres desempregados hoje? Já passeis dos 50 anos e nunca vi o Brasil realmente bem...apenas algumas "cortinas de fumaça" que duraram muito pouco pois não tinham muita
    consistência.
    .
    Como alguém que gosta de navios de guerra desde tenra idade, gostaria de voltar ao Rio e ver novos navios atracados, mas,
    ao mesmo tempo minha consciência não ficaria tranquila diante de tanta miséria que vejo todos os dias...mas...o ditador da
    Coreia do Norte certamente não tem esse "problema".
    .
    abraços

  8. 19/05/2017  12:37 by Aurélio

    Se o povo da Coréia do Norte passa fome ou não, isto não é exclusividade deles. Na Africa e no Brasil tem, milhões que passam fome também. A Coréia do Norte tem todo o direito de desenvolver armas nucleares, capazes de impor , sacrifício hercúleo, em quem tentar invadi-los . Além do mais a Coréia do Sul e o seu aliado EUA , estão em guerra contra a Coréia do Norte. Nunca houve a assinatura de um tratado de paz entre eles, o que existe é um frágil armistício. Logo, quem está em guerra , desenvolve armas.

  9. 19/05/2017  18:38 by Fernando Reis

    Gilbert, O Trump já fez isso e a Coréia do Norte acabou de lançar um míssil ainda de maior alcance do que os anteriores e depois disso você leu ou ouviu falar em algum lugar, que o presidente da Coréia do Norte mandou compra algum tipo de fralda?? Aliás muito menos o Grande NGUYEN GIAP, sabe quem foi?? Não né? Vou te dizer, foi um dos maiores estrategistas Militares do Seculto XX e também o Fundador e Comandante Supremo do Exército do Povo do Vietna, o mesmo que comandou e derrotou o exército francês, acabando com o domínio colonial europeu e ainda derrotou o Exército dos EUA na guerra do Vietna, conseguindo assim a reunificação do país sob regime comunista, este então é que não usou fraldas mesmo rsssssssss....

  10. 19/05/2017  22:04 by Bruno Vinícius Campestrini

    Fernando Reis o Vietnã do Norte ganhou dos EUA não por suas vitórias militares, mas sim cm uma estratégia "desonesta". Eles assinaram um acordo de paz após perceberem que estavam sendo massacrados e 3 anos depois, quando os EUA retirou as tropas eles invadiram o Vietnã do Sul.

  11. 20/05/2017  10:50 by jose luiz esposito

    Fernando Reis ,qual é a tua idade ? Deves ter aprendido sobre o Viet Nan em filmes de Holywood ,mas assim mesmo veja os **Boinas Verdes** ,sem querer eles mostram que seus soldados só poderiam se movimentar por helicopteros ,por terra ,não evoluíam 5 kms em torno de suas bases , e veja os vídeos que os americanos correm mais que Toureiro Frouxo com Seus Chifres no Traseiro !

  12. 20/05/2017  10:53 by jose luiz esposito

    Aos Torcedores do América ,só lhes restarão o Hino . Hei de Torcer ,torcer .... até morrer morrer .....!! COITADOS OS EUA KAPPUT!

  13. 20/05/2017  10:55 by jose luiz esposito

    Fernando Reis desculpe-me ,quem nasceu ontem foi o Campestrini .

Leave a reply

 

Your email address will not be published.