Por Ryan Maass

17 de março (UPI) – Lockheed Martin recebeu um contrato para uma modificação no valor de US$ 40 milhões para manter a frota de F-22 raptor da Força Aérea Americana.

Pelo contrato, a empresa irá retirar e refazer o revestimento dos F-22, o que acontacerá mais cedo do que o inicialmente esperado.

O trabalho será realizado em vários locais da Califórnia, Geórgia, Utah e Texas. O Departamento de Defesa dos Estados Unidos espera que o trabalho esteja concluído até o final de junho de 2019.

A Lockheed Martin recebeu US$ 6,4 milhões no momento da assinatura do contrato. O projeto será gerido pelo Centro de Gestão do Ciclo de Vida da Força Aérea localizado na Base Aérea de Hill-Utah.

O F-22 Raptor é a quinta geração de caças táticos introduzido pela primeira vez em dezembro de 2005. A Lockheed Martin diz que o avião é projetado para executar missões de superioridade aérea. O jato é tipicamente armados mísseis de curto alcance e mísseis de longo alcance com capacidades BVR – além do alcance visual. Ele também pode disparar armas ar-superfície.

A Força Aérea dos Estados Unidos é o único operador do caça F-22.

TRADUÇÃO E ADAPTAÇÃO: DAN

FONTE: UPI

image_pdfimage_print

 

6 Comments

 

  1. 19/03/2017  21:19 by Teropode

    Interessante , li em um blog americano que o contrato é para aprimoramento e instalação de modernos softwares , uma vez que F 22 voa com eletrônica dos anos 90 !

  2. 19/03/2017  21:21 by Teropode

    Afinal irão trocar além da eletrônica e software , os revestimentos ?

  3. 21/03/2017  8:53 by Fred

    Este revestimento de absorção de ondas radar do F-22 sempre foi problemático...

    "...a Lockheed Martin alega que desenvolveu um novo revestimento, mais resistente, que será aplicado a todos os F-22 durante as operações de manutenção."

    Provavelmente, deve ser este "novo revestimento", que será aplicado nos F-22 parados para manutenções e atualizações,

  4. 21/03/2017  17:43 by PRAEFECTUS

    Os militares russos introduziram o sistema de radar mais complexo e sofisticado do mundo, conhecido como "29B6Container" em 2 de dezembro de 2013. Destinado ao reconhecimento aéreo e espacial de longa distância.

    O 29B6 é um sistema de radar bi-estático, com transmissores e receptores separados localizados longe um do outro. A antena do transmissor tem 440 metros de comprimento e inclui 36 componentes; ele está localizado em Nizkny Novgorod(250 Km a leste de
    Moscou). A antena receptora 29B6 está em Kovylkino(150 Km ao sul de Nizkny Novgorod) e tem torres de 35m de altura espalhadas por mais de 1,3 Km. O sistema de radar 29B6 é muito, muito avançado avançado mais do que a família "Duga", trabalhando em comprimentos de onda na faixa 10-100 m(frequência de 3-30MHz).

    Em contraste com a faixa de centímetros e milímetros de radar, radares de ondas curtas como o 29B6 emitem pulsos em um ângulo de inclinação de até 45 graus a partir do solo. Eles são repetidamente rebatidas fora da ionosfera para olhar além do horizonte sem perda significativa de sinal. Esta refração ionosférica dá ao radar uma zona ideal de detecção de alvos aéreos na faixa de 400-4000 Km do radiodifusor. Assim, mísseis balísticos ou aviões de combate podem ser descobertos pelo radar em território russo, enquanto eles ainda estão em vôo acima do oceano atlântico.

    Existem muitos aspectos da tecnologia "furtiva", incluindo a forma da aeronave, o tipo de materiais utilizados na construção da aeronave e os revestimentos e tintas que cobrem a pele da fuselagem, as superfícies das asas e da cauda e a cabine. A tecnologia Stealth reduz as ondas de reflexão do radar no espectro mais utilizado, ou seja, na faixa de centímetros. A 5ª geração de aviões multifunção (F-22 e F-35) foi concebida especificamente para os tornar invisíveis ao radar de banda X (7,0 - 11,2 GHz), ou seja, na gama de centímetros e milímetros. Esses aviões não são invisíveis para o radar OTH 29B6, que operam no decímetro e metros.

    A pintura especial radio-absorvente que cobre o F-22 e o F-35 é muito fina (2-4 centímetros) e é eficaz somente na escala de frequência do centímetro e do milímetro. A fim de ser invisível ao radar OTH 29B6 que opera na gama de metro e decímetro, o revestimento de absorção radar teria de ter pelo menos 40-50 centímetros de espessura. No entanto, uma quantidade tão grande de tinta aumenta a massa da aeronave e reduz suas qualidades aerodinâmicas...

    Pronto, falei.

    Grato

  5. 22/03/2017  0:26 by Flanker

    Praefectus, tudo muito lindo, maravilhoso....assim como tudo da Rússia segundo o que vc escreve. E esse radar guia as baterias de SAM's? Pode ser utilizado embarcado nos caças russos que irão interceptar os F-22 e F-35? E por último, você já pensou em uma camada de tinta de 2 a 4 CENTÍMETROS de espessura? E mais ainda, no final do seu post vc fala que a tinta deveria ter entre 40 e 50 CENTÍMETROS de espessura e que isso reduziria suas qualidades aerodinâmicas. Eu te afirmo que uma camada de tinta com essa espessura tornaria a aeronave, no mínimo, disforme. Acho que vc quis dizer MILÍMETROS, correto? De resto, seu texto me parece um tanto quanto ufanista, como de resto, tudo que comentas sobre os russos.

  6. 22/03/2017  11:53 by PRAEFECTUS

    Flanker meu caro,

    deveras eu errei ao digitar "centímetros" por conta da pressa, que é inimiga da perfeição. O correto é milímetro, obrigado.

    a questão aqui apresentada em meu coment, é que os russos dispõem de avançada tecnologia radar que reduz dramaticamente a eficacia Stealh dos caças F-22 e F-35, e os american-boys que sabem muito bem que estão já defasados neste quisito procuram correr atras do prejuízo como mostra a matéria.

    Grato.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.