A Engenharia é uma Arma com características técnico-combatentes responsável pela mobilidade e proteção das tropas aliadas, com a abertura das passagens através de obstáculos naturais e artificiais em direção aos objetivos definidos pelo escalão superior, pela contramobilidade das tropas inimigas, dificultando o seu avanço com a construção e agravamento de obstáculos, lançamento de minas e armadilhas, e pelo apoio geral de Engenharia, com reconhecimentos especializados, levantamento da capacidade das pontes, levantamento e retirada de campos minados, construção e manutenção de pontes e estradas e outras atividades.

Acompanhando a modernização do material militar adquirido pelo Exército Brasileiro, a Engenharia recebeu novos equipamentos, aumentando sua capacidade de apoio, como é o caso da mobilidade proporcionada pela Viatura Blindada Especial de Engenharia (VBE Eng) e mesmo desenvolvendo novas capacidades, como é o caso da criação do Destacamento Especial de Destruição de Artefatos Explosivos (DEsp DAE). Na Manobra Escolar 2017, a Engenharia está atuando no amplo espectro do conflito utilizando alguns destes novos equipamentos e capacidades.

A Brigada Agulhas Negras conta com a 21ª Companhia de Engenharia Mecanizada (21ª Cia E Cmb Mec), reforçada com 01 pelotão de Engenharia Aeromóvel, 01 pelotão de Engenharia Blindado e 01 Portada Pesada, além de um DEsp DAE. Com estas capacidades, a Companhia reforçou as tropas que constituem a Brigada Agulhas Negras com um pelotão de combate de mesma natureza para cada tropa apoiada, além de manter 02 pelotões de Engenharia de Combate, 01 Pelotão de Engenharia de Apoio (constituído de Equipamentos especializados de Engenharia) e o DEsp DAE para prestar apoio ao conjunto, o que significa que as capacidades sob o comando do Comandante da Companhia serão utilizadas em prol da Brigada como um todo.

O comando da Companhia e seu Estado Maior é constituído por Oficiais alunos da Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais (EsAO), auxiliado por Cadetes do 4o Ano na função de Adjuntos de Seção. Os Pelotões são comandados por Cadetes do 4o Ano e possuem em sua constituição Cadetes do 2o e 3o Anos, sendo que alguns pelotões são constituídos por alunos da Escola de Sargento das Armas (EsSA). A Companhia recebeu apoio de outras Armas e Serviço: o pelotão de Comunicações é constituído por Cadetes da Arma de Comunicações e o aprovisionador e seu auxiliar são Cadetes do Serviço de Intendência. Além disso, a turma de Comando recebeu alunas da Escola de Saúde do Exército e Alunos de Saúde e de Comunicações da Escola de Logística. Essa diversidade de origens e experiências tem proporcionado excelentes oportunidades para os participantes da Companhia exercerem atividades semelhantes às que em breve exercerão nos corpos de tropa, bem como conhecerem os novos equipamentos e capacidades da Engenharia do Exército Brasileiro, além, é claro, da troca de experiências.

Além das missões de combate previstas, tais como abertura de passagem, transposição de curso de água e mergulho para salvamento de material, a Companhia tem sido acionada também para cumprir missões reais, como recuperação de estradas em propriedades cedidas para a manobra escolar e destruição de engenhos falhados.

FONTE e FOTOS: EB