NPa-Guaporé

NPa Guaporé P 45 com o novíssimo canhão Bofors 40 MK4

destaqueO Navio Patrulha Guaporé P 45, da classe Grajaú, está com o novíssimo canhão Bofors 40 MK4 de 40mm instalado. O navio está em fase de testes de aceitação da nova arma.

Bofors-40-MK4-NPa-Guaporé

Canhão de 40mm Bofors 40 MK4

Todas as munições L/70 40mm podem ser usadas no novo sistema, que tem uma cadência de disparo entre 30 e 300 tiros por minuto. Sem munição, o sistema pesa menos de 2.300 kg, em comparação com o antigo Bofors que pesa cerca de 4.000 kg.

NPa Guaporé P45

NPa Guaporé com seu canhão de 40mm anterior ao Bofors MK4

O Bofors 40 Mk4 pode ir de tiro de advertência a tiro de destruição em menos de 0,5 segundos. A munição 3P pode ser programada para efeito optimizado contra qualquer alvo, incluindo padrões airburst para novas ameaças, que antes eram impossíveis de se envolver. O canhão é controlado remotamente e carregado automaticamente podendo ser controlado localmente como um backup.

O canhão pode ser aplicado em:

– Operações de Manutenção da Paz: O sistema de armas cumpre um papel preventivo, por exemplo, disparando tiros de advertência.

– Missões de Patrulha: Ameaças como piratas, contrabandistas e terroristas exigem a arma para responder a múltiplos alvos pequenos e imprevisíveis. 

– Guerra Naval: O sistema é vital para a defesa contra navios hostis, aeronaves de ataque, mísseis anti-navios e alvos em terra. 

Especificações:

Tipo: Canhão Naval de 40 milímetros Naval 
Operadores: Nenhum
Calibre: 40 milímetros L / 70
Peso excluindo munição: < 2.300 kg
Limites de elevação: -20 A 80 graus
Modo de disparo: Remotamente ou controle local giroestabilizada como back-up
Alcance máximo: 12.500 m
Taxa de disparos: 300 cartuchos/min
Câmera de TV, munição On-mount On-mount  velocidade radar programável 3P: Opções

image_pdfimage_print

 

22 Comments

 

  1. 13/08/2014  8:42 by Fred Responder

    Curiosidade...Pom-poms!
    8 canos 40 mm em ação...
    Sobre o nome, parece ser uma onomatopeia, basta escutar o sistema em ação, literalmente: Pom-poms! :)

    https://www.youtube.com/watch?v=6KsXYK_CNoQ

  2. 12/08/2014  21:51 by Alexandre Responder

    Gilberto Rezende/RS, a esperança é a última que morre ...

  3. 12/08/2014  21:46 by Alexandre Responder

    Vai sonhando Gilberto Rezende/RS, vai sonhando ... Com os contingenciamentos orçamentários habituais, especialmente nas FAs, pois sabe que o 1º nome lembrado de onde DESVIAR dinheiro de orçamento PARA OUTRA COISA são as FAs. Mas mesmo que de jeito maneira seja o cliente lançador da arma, já estará de excelentíssimo tamanho essa arma começar a substituir suas irmãs mais velhas(e feias, como já foi lembrado). Os comentários do Bosco sempre são muito elucidativos. Mas se o Guaporé estiver de fato sendo usado como bancada de testes( como o Bosco mencionou ) para as novas Barroso, e principalmente SE essa arma for DE FATO instalada nas novas Barroso, esse acontecimento em si já será excelente.

  4. 12/08/2014  14:15 by Gilberto Rezende/RS Responder

    O mais impressionante é que o desenvolvimento deste canhão finalizou-se em 2012 e parece que o Brasil será o cliente lançador da arma.

    SE for instalado em toda a Classe Grajaú a adoção deste sistema de canhão/ munição 3P além de melhorar SIGNIFICATIVAMENTE as qualidades da embarcação retirando 1.700 Kg da sua proa a qualidade superior do canhão e a enorme flexibilidade do sistema de munição 3P com 6 modos diferentes de configuração de tiro tornam os patrulhas Grajaú em embarcações de patrulha com uma eficácia sem precedente no uso de seu canhão e em capacidade de ataque e auto-defesa.

    Se aprovado e adotado em toda a classe será uma golaço da MB.

  5. 12/08/2014  14:13 by eduardo Responder

    Ae Boscão que bom compartilhar(aprender)com vc aqui tbm, e , parabéns pelo comentário explicativo acima que como sempre foi na mosca!!!
    E ao DAN parabéns por manter a qualidade nas matérias e atualizações das informações!!

  6. 12/08/2014  13:42 by Nelson Lima Responder

    Estou curioso com o desempenho anti-míssil desses canhões

  7. 12/08/2014  13:26 by Bosco Responder

    Fernando,
    Eu também acho exagerados os canhões Mk-8 para as corvetas. Corvetas não são navios ideias para apoio de fogo e no caso específico das brasileiras, elas não contam com um sistema de defesa de ponto que cubra os 360º. Substituindo o canhão Mk-8 nas futuras corvetas por um menor, de 76 ou 57 mm, e haveria uma melhora substancial na capacidade de defesa de ponto, inclusive com a cobertura de 360º, que eu acho fundamental para um navio de guerra.

  8. 12/08/2014  12:52 by Fred Responder

    Esta é uma excelente noticia!
    Espero que isto seja uma mudança de no armamento dos navios da MB...Os patrulha da Classe Grajaú com 200 t, já operam com o calibre 40 mm e certamente podem receber um armamento como este, ainda mais com a redução de peso do canhão, de 4.000 para 2.300 kg...Acredito que os sensores necessários ao pleno funcionamento das funções antiaéreas podem ser implantados, se o aspecto financeiro permitir é claro...

    Este canhão Poderia ser o armamento padrão tanto para a Classe Grajaú, como para a Macaé, facilitando e barateando a manutenção e logística.

    Já os NPaOc poderiam receber como arma principal pelo menos um Bofors 57 mm Mk 3. Quem sabe um 76 mm...

    • 12/08/2014  14:03 by Fred Responder

      Correção:
      "Espero que isto seja uma mudança de PADRÃO no armamento..."

  9. 12/08/2014  11:01 by fernandofalcom Responder

    A marinha do Brasil ta precisando "perde peso" os reparos usados em nosso navio só prejudicam o desempenho das embarcações prova russa e a Barroso e inhauma com aqueles reparos 114 mm pesando toneladas em cornetas.
    Alguém sabe me informa se serão fabricados pela fliuri ?

  10. 11/08/2014  23:53 by RobertoCR Responder

    Eu tenho que fazer um elogio.
    A parte mais interessante para mim aqui no DAN é que a "novidade" é "novidade de fato", não uma colagem ou coisa similar, ou um amontoado de insinuações e propaganda. Sempre com boas ilustrações quando necessário e sem aquele clima de "o Brasil acaba amanhã". Exemplo é este post, onde um equipamento pouco comentado teve o destaque e seriedade de tratamento que o tema merece. Parabéns.

  11. 11/08/2014  22:04 by Carlos B. Crispim Responder

    Finalmente tiraram aquele reparo antigo horrendo, feito por algum esquizofrênico, o barco é bonito, mas aquele trambolho em cima enfeiava qualquer embarcação.

  12. 11/08/2014  21:40 by Bosco Responder

    Tão importante quanto o canhão e a munição é o sistema de busca, rastreio, identificação, designação e aquisição de alvos.
    Provavelmente a função desse canhão nesse navio patrulha deva ser só contra alvos na superfície, contando com o auxílio de uma alça eletroótica.
    Para ser eficaz na função antiaérea (inclusive, antimíssil), seria interessante que o navio patrulha contasse com um sistema de direção de tiro multiespectral, dotado de sistema eletroóptico e radar de direção de tiro, e claro, radar de busca apropriado. Muito provavelmente isso não vai acontecer.
    O mais provável é que o Guaporé está sendo usado como bancada de testes, quem sabe, para as novas corvetas, já que um canhão com esse nível de tecnologia excede a função tradicional do navio patrulha, que de modo geral é efetuar tiros de advertência e tiros de incapacitação.
    Contra alvos aéreos o alcance deve ser da ordem de 4 km.

    • 12/08/2014  9:26 by Afonso Responder

      Grande Bosco. Pra variar, você "matou a pau". Seus comentários sempre são esclarecedores. Será muito bom vê-los neste espaço.
      Mais uma vez, parabéns ao DAN, por angariar alguém de seu quilate.
      Abraços.

      • 12/08/2014  10:56 by Bosco Responder

        Obrigado Afonso!
        E o blog está muito bom mesmo!
        Parabéns aos editores.

          • 12/08/2014  17:13 by Bosco Responder

            Obrigado Guilherme.
            E novamente, parabéns a você e ao Padilha e a todos que frequentam o DAN.
            Um abraço.

        • 12/08/2014  15:41 by Ricardo Responder

          Blog?

    • 12/08/2014  12:45 by Fred Responder

      Para defesa anti-aérea realmente os classe Grajaú vão necessitar de mais sensores.

      Porém para a função de aquisião de alvos de superfície navais, acho que o radar RACAL-DECCA RM 1290A, que equipa os patrulhas Grajaú deve dar conta do recado, sobre estes radar:

      "A série 1290/1690 introduziu PPI e automatização de plotagem (ARPA). O sistema pode carregar até 20 faixas de alvos, adquirindo alvos entre 0,5 e 20 milhas nauticas, rastreamento entre 0,5 e 20 mn. Os alvos são continuamente monitorados depois que eles são adquiridos e apareceram em 5 de 10 exames consecutivos; eles são extraídos por análise de área limitada (uma janela fixa), a aquisição dentro da janela é feita de acordo com o tamanho esperado do alvo e o nível medido de ruído local. A tabela por faixa é montada em forma de movimento verdadeiro. Até 9 marcadores podem ser posicionados para monitorizar o movimento de um navio ameaça potencial . Cores são utilizada para designar as características do eco, por exemplo, laranja para os alvos, preto para as faixas, branco para dados auxiliares, e vermelho para uma zona de segurança."
      (Tradução google)

    • 12/08/2014  12:48 by William Responder

      "Tão importante quanto o canhão e a munição é o sistema de busca, rastreio, identificação, designação e aquisição de alvos."

      Colega Bosco, estava aqui me questionando e ia partir pra pesquisa sobre este ponto quando li seu comentário. Como sempre você no ajuda muito.

      Grande abraço.

      • 12/08/2014  12:48 by William Responder

        no = nos

  13. 11/08/2014  21:12 by fabio souto Responder

    Todos navios patrulha vao receber o novo canhão? qual o alcance para tiro aae?

Leave a reply

 

Your email address will not be published.