Por Robinson Farinazzo

A Venezuela teve uma retração do seu PIB (Produto Interno Bruto) de 3,9% no ano de 2014, caindo 6,2 % em 2015 e 18 % em 2016 (dados do Fundo Monetário Internacional, FMI). O país conseguiu manter sua balança de comércio em um nível positivo devido às exportações do petróleo, mas esse quadro pode se alterar facilmente em função das oscilações do preço do barril.

O quadro inflacionário é aterrador, porém é difícil de ser aquilatado em números em face à baixa confiança dos dados fornecidos pelo governo (quando e se este último os libera). Inobstante, estima-se que seja guindada ao patamar de 700% no ano 2017, ou muito além. Porém, qualquer que seja o número, ele será catastrófico.

Estes índices da economia têm enorme repercussão nos indicadores sociais do país e a Venezuela hoje ocupa a 101ª posição em um ranking de 162 países no tocante ao consumo calórico per capita, com apenas um terço de sua população conseguindo obter três refeições diárias.

A taxa de homicídios disparou, o número de sequestros praticamente triplicou entre 2008 e 2011. O desabastecimento é alarmante, e calcula-se que o desemprego bata na casa dos infernais 20% em 2017.

Politicamente, é inegável que o país já entrou numa ditadura fortemente respaldada pelo setor militar e este é o ponto de interesse de nosso artigo. A militarização da cúpula governamental está caracterizada no fato de que dos 32 ministérios do governo de Nicolás Maduro, 11 são ocupados por militares, alguns dos quais estão sendo processados por órgãos judiciais norte americanos.

Mas estes cargos não são suficientes para atender às vagas necessárias para alocar os mais de 2.000 oficiais generais ( de um efetivo de cerca de 115.000 militares, segundo dados do jornal New York Times) que o governo venezuelano promoveu nos últimos anos. Eles estão presentes em diversos setores da máquina pública, em especial no estratégico, lucrativo e pouco eficiente serviço de importação/distribuição de alimentos.

Como não há bem que nunca se acabe nem mal que dure para sempre, não é difícil concluir que, mais cedo ou mais tarde, na senda que escolheu, o regime encontrará seu abismo. E que o Exército (leia-se Forças Armadas) da Venezuela seguirá com ele e será instado a prestar contas para a sociedade venezuelana, ao menos para esclarecer porque se desviou de seu papel institucional e se amalgamou a um partidarismo passageiro que sempre foi prejudicial às Forças Armadas de qualquer país do planeta – que o digam seus camaradas de armas da Argentina, Iraque e Alemanha.

Nesse dia, o Exército (que se deixou seduzir pelas tentações Chavistas quando deveria ter preservado seu caráter despolitizado) ocupará o duro e frio banco de réus que a História reserva aos que não lhe deram ouvidos. E pagará a conta, na forma de décadas de desprestígio, descrédito e sucateamento, convertendo-se em pária institucional.

Mais lamentável do que inevitável.

 

14 Comments

 

  1. 12/08/2017  9:40 by Doug385

    Entrou de vez no comunismo. Inacreditável que ainda exista esse tipo de regime em pleno século XXI e mais inacreditável ainda que exista gente disposta a defendê-lo. O Estado passa a ser a nova elite abastada do país enquanto o resto do povo padece de fome.

  2. 12/08/2017  11:58 by Wolfpack

    Rdiculo pintar as cores da bandeira no rosto do enfante, com direito a estrelinhas... A Venezuela merece tudo que acontece e virá a acontecer com eles. Apoiaram e muito o Bolivarianismo retrógrado e concentrador de poder aos que estão na corte, como aconteceu em Cuba com os Castros. E ainda tentaram vender esta idéia aos povos fracos de coração e débeis em inteligência. Nunca faltou recursos, comida e privilégios aos Castros como não faltam alimentso e recursos aos militares de patente elevada nas forčas venezuelanas, mas isso tende a implodir, quando dentro das forças forem notados privilégios para uns e não para outros. E o Brasil é este pussy country passivo a tudo isso. Uma vergonha!

  3. 12/08/2017  14:32 by Andre

    É Doug, o Foro de SP criou seu monstro chamado Hugo Chaves, que gerou fruto que é essa besta.
    Por isso não é de se estranhar que a esquerda brasileira defende tanto esse regime, é criação deles. "Olavo tinha razão", agora esses socialistas não tem mais como esconder os podres. O comunismo não pode se manter na prática Doug porque eles precisam de capital, então mantém uma parcela de empresas privadas para controlarem com seus impostos abusivos, além de sugar o estado com 32 ministérios. Se eles quebrarem o estado não terão a quem culpar, então essa é outra serventia do restrito setor privado dessa tirania.

  4. 12/08/2017  14:49 by jeka

    Hugo Chaves fez um esforço danado pra deixar o país forte e esse manézão do Maduro fracassou. Igualzinho Lula e Dilma. A esquerda já foi melhor em varrer golpistas e agentes desestabilizadores do mapa.

  5. 12/08/2017  16:11 by Gilson Moura

    O mais triste desta notícia é saber que a alta cúpula tanto da política quanto dos militares nunca irão passar necessidades mesmo com as sanções aplicadas pelos EUA enquanto todo o resto do país passa fome, por isso sou totalmente contra qualquer tipo de sanção COMERCIAL E ECONÔMICA contra a Venezuela, isto irá apenas afundar ainda mais a crise na Venezuela, que em nada se deve ao petróleo e sim ao socialismo, notícias anteriores de 2012 provam que já existia desabastecimento de comida no país enquanto houve uma maciça onde de nacionalização de empresas com Chávez e depois com o Maduro.

  6. 12/08/2017  16:38 by hemerson

    E um artigo muito bem escrito.

  7. 12/08/2017  18:19 by Adriano Corrêa

    Coitados, vão acabar iguais as forças armadas brasileira!

  8. 13/08/2017  8:35 by Fernando

    E a paranóia anticomunista continua presente em muitos idiotas. Esse abestados não sabem distinguir o que é comunismo, capitalismo, socialismo ou nacionalismo. São idiotas úteis ao projeto de dominação mundial.

  9. 13/08/2017  12:20 by Edimir

    Fernando muda para lá!!!

  10. 13/08/2017  15:42 by Pedro

    Fernando.E muitos idiotas como você,vendo a realidade e não enxerga.

  11. 13/08/2017  16:20 by M. Silva

    Há dois tipos de gente que apoiam comunismo: os desonestos (que lucram com ele) ou os imbecis (que vivem no mundo da fantasia).

    Já que o Brasil parou de enviar mesada para o Maduro, fica difícil manter o regime...

  12. 14/08/2017  10:31 by Leonardo Rodrigues

    Comentários recheados de um conjunto de desinformação e desrespeito. É claro que a política tem dois lados, mas não se trata de comunismo e capitalismo, na verdade é uma disputa entre o nacionalismo e as grandes corporações. Não entrarei na discussão de que se Maduro é melhor o pior quê, mas trazer a tona o que está em jogo. Se alguns querem que as empresas tomem totalmente o controle inclusive do Estado, tudo bem para mim, mas lutarei contra. Agora se compreenderem que as desestabilizações são fomentadas por elas e que as guerras no geral só levam disgraça aos povos, e mais a fundo, os grandes movimentos que geram discórdia no mundo geralmente são crias dos Estados Unidos. Eram os talibãs, viraram Al Qaeda e depois o Estado Islãmico. Aqui na América do Sul foram várias ditaduras de direita terríveis e assim como algumas de esquerda. Agora deixe o povo da Venezuela resolver seus problemas e este modelo intervencionista somente traz discórdia e sofrimento.

  13. 14/08/2017  11:06 by edson

    A coisa tá boa mesmo é pra forças armadas brasileiras, tá ótima . . . .

  14. 15/08/2017  16:48 by Andre

    Então diferencie você mesmo esses idealismos Fernando. Esse é seu único argumento, criticar por criticar? Como quer que suas idéias sejam aceitas se você não se deu ao trabalho de nos convencer dela? Paranoia, distinções ideológicas, dominação mundial e idiotas não passam de palavras jogadas na nossa tela. Isoladamente elas não representam nada.
    Não banque o moralista Leonardo, o Fernando é quem começou. Típico: além de não nos convencer do que ele pensa, nos ofende e ainda não pode responder ao tratamento. O que se debate são ideias, por isso não se deve levar para o lado pessoal, fugindo e fazendo fugir do tema em discussão.

Leave a reply

 

Your email address will not be published.