O destróier mais novo dos EUA, o USS John Finn (DDG 113), entrou em serviço após uma cerimônia solene realizada na base naval de Pearl Harbor, no Havaí.

O novo navio envia um claro sinal para os aliados e inimigos dos EUA na região da Ásia-Pacífico: Washington tem seus próprios interesses nesta parte do mundo, ressaltou o chefe do Comando do Pacífico das Forças Armadas dos EUA, o almirante Harry Harris, durante a cerimônia.

“Acreditamos na paz apoiada na força. O aparecimento deste navio aponta a nossos amigos e inimigos que levamos muito a sério esta região”, disse o almirante.

Este navio de guerra multifuncional tem 155 metros de comprimento e pesa 9.140 toneladas. O USS John Finn está equipado para a realização de operações de guerra antiaérea e antissubmarino.

​Como outros navios da classe, o destróier conta com um canhão de 5 polegadas, 2 × 25 mm M242 Bushmaster, um sistema avançado de mísseis antinavio e dois lançadores triplos de torpedos.

​Além disso, está equipado com lançadores verticais para diferentes tipos de mísseis. O hangar do USS John Finn pode acolher dois helicópteros MH-60R.

Este é o primeiro destróier da sua classe a utilizar uma versão do sistema Aegis que permite ao navio efetuar simultaneamente combates antiaéreos e executar ações de defesa contra mísseis balísticos.

“Isso significa que o USS John Finn vai para o combate com espada e com escudo”, explicou Harris.

O sistema antiaéreo do navio usa radares AN/SPY-1 da Lockheed Martin que a própria empresa descreve como “o sistema de radar multifuncional mais avançado da Marinha”.

O novo destróier foi batizado em nome do marinheiro norte-americano John Finn, que defendeu a base de Pearl Harbor durante o histórico ataque japonês em 7 de dezembro de 1941. Finn sofreu 20 ferimentos durante o ataque, mas não abandonou o campo de batalha. Por seu heroísmo, este marinheiro foi condecorado com a Medalha de Honra. Finn morreu em 2010, aos 100 anos.

FONTE: Sputnik

FOTOS: Twitter US Pacific Fleet